Crevisa oferece testes rápidos e gratuitos de leishmaniose em cães

A leishmaniose visceral, doença infecciosa parasitária não contagiosa que se manifesta principalmente em cães, mas também acomete humanos, é importante problema de saúde pública.

Da Redação

Em apoio à Semana Nacional de Controle e Combate à Leishmaniose, a Prefeitura de Divinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e do Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental (Crevisa), convida a população a combater a enfermidade fornecendo diagnóstico precoce e recomendações de limpeza, cuidado e prevenção.

Testes rápidos para diagnosticar a doença em cães podem ser gratuitamente realizados transportando o animal, entre 8h e 15h, para sede do Crevisa, rodovia Divinópolis/Carmo do Cajuru, km 6, estrada de acesso às Chácaras Beira Rio, sentido Getsêman, ou durante visita domiciliar, que pode ser solicitada pelo telefone (37) 98826-3288.

A leishmaniose visceral, doença infecciosa parasitária não contagiosa que se manifesta principalmente em cães, mas também acomete humanos, é importante problema de saúde pública. A transmissão ocorre por meio de picada de flebótomos, comumente conhecido como mosquito palha, que pode infectar pessoas e animais, principalmente cães. O mosquito palha contamina-se ao picar o cão infectado e depois a pessoa. Não há transmissão direta entre pessoas e entre pessoas e cães.

Como prevenir

Observe a população de cães, controle a proliferação do inseto vetor e evite que ele pique as pessoas. As ações estão destinadas tanto à proteção individual como ao manejo do ambiente.

Proteção individual:
    usar mosquiteiro e protetores de portas e janelas;
    usar repelentes;
    não se expor ao crepúsculo e à noite, horário do vetor.

Manejo ambiental para controle do vetor:
    limpar quintais e terrenos recolhendo matéria orgânica, como folhas, galhos e fezes de animais;
    corretamente embalar e eliminar os resíduos sólidos domiciliares;
    evitar sombreamento e eliminar fontes de umidade.

Medidas de controle da população canina:
    diagnóstico precoce em cães; 
    manejo de cães em situação de rua;
    promover a posse responsável de animais domésticos;
    canis telados com malha fina que protejam do acesso de insetos;
    coleiras impregnadas com deltametrina a 4% como auxílio na prevenção da doença em cães.

Como identificar casos suspeitos

Para humanos: em caso de febre persistente, baço e fígado aumentados, deve buscar o serviço de saúde mais próximo da residência ou a unidade de pronto atendimento (UPA) especialmente se já esteve em área onde a doença ocorre. O tratamento existe se a enfermidade se detecta no início.

Para cães: em caso de perda de peso progressivo, feridas e descamações de pele, queda anormal de pelo, aparecimento de ínguas, crescimento anormal de unhas, inchaço nas pernas, sangramento nasal ou de outras aberturas, entre outros sintomas, busque o Crevisa. A doença é fatal.

Serviço

Vigilância em Saúde Ambiental: (37) 3229-6823

UPA Padre Roberto Cordeiro: (37) 3221-3662

Comentários
×