Crescimento de suspeitas de dengue desacelera

 

Matheus Augusto

As temperaturas mais baixas parecem finalmente estar surtindo efeito contra a dengue. Os números da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), divulgados ontem, apontam Divinópolis com 4.457 notificações de dengue. Desses, 2.928 já foram confirmados; 315 descartados; e 1.214 ainda continuam em análise.

Ou seja, em relação aos dados da última semana, houve um aumento de 108 suspeitas. Além disso, 278 pacientes tiveram o diagnóstico para a doença confirmado.

Em todo o ano de 2018, a cidade teve somente 77 casos confirmados.

Mutirões

No último sábado, 20, agentes de saúde estiveram nos bairros São Miguel, São Judas e Dom Pedro II. Segundo informou a Prefeitura, foram recolhidos cerca de oito toneladas de materiais descartáveis.

Como explica o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, a intenção é, além de conscientizar os moradores, retirar objetos que possam acumular água.

— O objetivo é minimizar o acúmulo de lixo, eliminar focos e possíveis criadouros de mosquito, bem como provocar participação de famílias — afirmou o secretário.

Os próximos bairros beneficiados com o mutirão de limpeza serão Belvedere I, Belvedere II e Chanadour.

Cuidados

Além das ações governamentais, a Prefeitura ressalta que a contribuição da população é fundamental para evitar a proliferação do Aedes aegypti.

— Dentre as ações, o município realiza os mutirões, campanhas educativas, carreatas, Dia D Contra a Dengue e panfletagem. Os moradores devem colocar nas calçadas de suas residências materiais e recipientes que possam acumular água — pontua.

O Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), realizado em maio pela Semusa, apontou que grande parte dos focos da dengue encontrados estavam dentro de residências — e não em lotes vagos. A pesquisa serve como alerta para a população para que os devidos cuidados sejam tomados. Ações simples, como evitar o acúmulo de água em recipientes plásticos, são de suma importância para evitar a proliferação do mosquito transmissor.

Estratégias

Com o clima atual, mais ameno, a tendência é de queda no número de notificações. No entanto, o combate ao mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela) continua. Na última quinta-feira, 18, o Comitê Municipal Gestor de Políticas de Enfretamento das Arboviroses se reuniu para tratar sobre a manutenção dos trabalhos, bem como a prevenção e o controle de doenças.

Para o segundo semestre, o trabalho de combate à dengue deve ser intensificado já visando o verão, período considerado propício para o desenvolvimento do mosquito.

— A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), através da Vigilância em Saúde, promove um trabalho contínuo de ações ao combate do Aedes aegypti e será intensificado neste segundo semestre. Muito importante a prevenção antecipando o verão, período de calor e chuvas, o que torna o clima favorável à proliferação do mosquito — ressaltou a Administração.

Dentre os temas abordados, está o fortalecimento da relação com a população, a fim de reforçar as medidas educativas e de conscientização.

— Diversos temas foram analisados, por exemplo, parcerias, estratégias de informação, mutirões de limpeza e reciclagem destes resíduos, ações das equipes educativas, participação da população e o número de casos confirmados de dengue no município — explica.

Apesar da discussão de novas estratégias, as ações já tradicionais vão continuar.

— As atividades preventivas permanecem: visitas e orientações dos agentes de endemias aos domicílios da zona urbana e rural, mutirões de limpeza, panfletagem, carreatas, caminhadas, ações educativas para crianças e adultos, entre outras — garantiu a Prefeitura. 

 

 

 

 

Comentários
×