Crescem as vendas de veículos novos na cidade

 

 

Jorge Guimarães 

Nos últimos dois anos o consumidor adiou o sonho de trocar de carro, principalmente o 0 KM. Mas com o aquecimento lento, mas gradual, da economia, nos últimos meses de 2017, devolveu-lhe a confiança necessária para assumir dívidas mais longas. A busca por financiamento, após sucessivas baixas da Selic, fez com que a procura aumentasse no sistema financeiro para operações de Créditos Diretos ao Consumidor. Em Divinópolis não foi diferente e as vendas de carros zero em dezembro superaram as expectativas nas revendas das marcas mais populares do país. 

Lançamentos 

E um dos principais responsáveis pelo aumento nas vendas foram os lançamentos ao longo de 2017.

Para a gerente de vendas, Nilce Maria de Araújo, os números não são os mesmos de antes, mas houve um bom crescimento, principalmente, janeiro em relação a dezembro último, quando houve um aumento, em média, de 12 a 13%. Os lançamentos da fábrica, como o novo Fiat Toro, o modelo mais moderno da linha da Fiat, contribuíram. Para os próximos dias, a montadora italiana vai lançar o seu novo sedan o “Cronos” que promete ser uma arma para alavancar ainda mais as vendas — avaliou.

Outra montadora, com sede na Alemanha, detém segundos dados dos profissionais da área, 15% de participação no mercado da região Centro – Oeste.

— O nosso crescimento está muito bom, a confiança do consumidor voltou e pelo visto o dinheiro que andava sumido estava sim guardado, com o consumidor aguardando o momento certo de aplicá-lo. Para se ter uma ideia, crescemos cerca de 35% em janeiro em relação a dezembro de 2017. A boa saída do novo Polo, que veio para ficar, contribuiu – disse o também gerente de vendas, Moisés Azevedo.         

 Números Brasil 

O mercado de veículos novos no Brasil começou 2018 em alta. Foram 181,2 mil unidades vendidas em janeiro, crescimento de 23,14% em relação a igual mês do ano passado, segundo dados divulgados, na última sexta – feira, pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que considera automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O aumento expressivo, porém, precisa ser relativizado pela base de comparação fraca: o número de unidades vendidas em janeiro de 2017 foi o menor para o mês desde 2006.

 

Comentários
×