Cresce número de empresas que encerram atividades em Divinópolis

Da Redação 

Os impactos da pandemia do novo coronavírus já são sentidos na economia mundial. E os desdobramentos causados pelas medidas de contenção da covid-19 estão deixando empresários e trabalhadores apreensivos. Fechamento de empresas, aumento no endividamento, desemprego, queda na produção e no consumo são algumas das consequências já presentes em Divinópolis.

Queda 

De acordo com dados da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), a Cidade do Divino registrou queda de 13,4% no número de abertura de empresas e um aumento de 26% de fechamento no total, acumulado de janeiro até a primeira quinzena de abril, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Números 

Em 2019, de janeiro a abril, foram 208 empresas iniciando as atividades e 165 fechando as portas no município.  No mesmo período, em 2020, foram 180 novos CNPJs e 208 que encerram suas atividades. Ou seja, em 2019 o número de empresas que fecharam foi menor do que o número que abriram. Já em 2020, a situação se inverteu. 

Os dados apresentados na pesquisa são do início de 2020 até o dia 15 de abril, a comparação é feita com as informações do mesmo período do ano anterior.

Brasil 

Outra pesquisa, realizada pelo Sebrae em âmbito nacional e divulgada pela CNN Brasil, aponta que pelo menos 600 mil pequenas empresas fecharam as portas no Brasil em razão dos efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus.

O levantamento também mostra que 30% dos empresários tiveram de buscar empréstimos para manter seus negócios, porém, mais da metade deles (59,2%) teve seus pedidos negados. Mais da metade (55%) dos micro e pequenos empresários terão que pedir dinheiro emprestado para manter os negócios funcionando sem gerar demissões. A pesquisa do Sebrae foi on-line e ouviu 6.080 microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte entre os dias 3 e 7 de abril.

Local 

Pesquisa recente realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis apontou que cerca de 11 mil pessoas com carteira assinada deverão ser demitidas ainda neste ano na cidade. Já o Sindicato dos Contabilistas de Divinópolis apurou, entre os escritórios de contabilidade, que desde o início da restrição de funcionamento das empresas, foram negociados quase 6 mil suspensões/redução de trabalho e 2.331 demissões, além de 4.955 férias. Esses dados foram apresentados por 41 contabilidades que responderam à pesquisa. 85 contabilidades ainda não apresentaram o levantamento.

Realidade 

Para o presidente da CDL Divinópolis, Luiz Angelo, os dados ainda são parciais, porém já mostram a realidade do potencial de demissões e suspensões de contratos de trabalho.  

— Além das demissões já realizadas, os trabalhadores em férias poderão ter seus contratos encerrados após o retorno das atividades. Todos esses dados representam um grande impacto na economia local. A CDL trabalha incansavelmente desde o fechamento do comércio no sentido de orientar, cobrar medidas municipais e buscar ações para minimizar a situação — revela Luiz Angelo.

Comentários
×