CREPÚSCULO DA LEI – XV*

THIS IS TRUE: BREVE DEMONSTRAÇÃO FAKE 

Ao que parece, a verdade está morta, vítima de uma milícia virtual fascista extremamente violenta chamada fake news. Não só a verdade está morta como sua identidade com o mundo exterior segue sequestrada: a realidade. Ora, se morta está a verdade e ausente por sequestro ad infinitum encontra-se a realidade, tudo é possível e tudo (se) convém, ainda que nada seja e nada corresponda a alguma coisa.

Portanto, esta é uma pequena demonstração by fake but not fun para se entender realmente (?) e verdadeiramente (?) o heroico falso na sua luta contra o demônio da verdade.

Por começo: O capitalismo não admite ditadura. É um valoroso conjunto de filosofias ligado a movimentos políticos e econômicos, estruturado em trabalhos de teóricos seguintes à revolução francesa em face da estiagem que gerou baixa colheita, falta de pão e a raiva do povo de Paris. O capitalismo oferece, desde então, uma preocupação com o acúmulo imperialista e com os problemas dos trabalhadores.

Nessa linha heroica, o capitalismo busca equilibrar as riquezas na sociedade e evitar a exploração do trabalho, de tal sorte que estimula a riqueza que paga impostos proporcionais e não aquela que sobrevive da sonegação, da corrupção e do uso do Estado social.

Além disto, o capitalismo busca diminuir os impostos dos mais vulneráveis, estimula a microempresa, contribui para ensino público de qualidade, valoriza o trabalho consoante a uma correlata aposentadoria justa, se impõe contra altos salários das funções de estado no judiciário, executivo e judiciário e é totalmente avesso ao exorbitante lucro bancário sem compartilhamento em programas sociais.

Em todos os países em que o capitalismo foi implantado, a pobreza foi erradicada, as penitenciárias foram lentamente fechadas e a sociedade passou a desconhecer racismo, xenofobia, homofobia, sexismo ou qualquer outra forma de discriminação. A justiça é justa, o sistema de saúde socorre e a educação educa melhores pessoas para o planeta.

Por outro lado, o comunismo é uma ameaça e deve ser combatido. Trata-se um sistema econômico diabólico que usa os meios de produção para acúmulo de dinheiro e obtenção de lucros. O deus comunista é o mercado comum do valor, com facções no mercado de câmbio global, por isto é comunista: tudo é global.

O comunismo busca o fortalecimento do sistema de empréstimos e criar um endividamento comum mediante a negociação do maior número de produtos financeiros possíveis. O mundo é a ditadura do mercado e gerenciado comumente pelas corporações multinacionais, determinadas a impor que as pessoas devam ter o pensamento comum da importância do dinheiro e dos bancos em suas vidas.

Para o comunismo, a empresa é família e o deus verdadeiro é o dinheiro e para ele todos os altares e toda a glória. Quem se atreve a negar o comunismo sofre sua vingança, conforme aconteceu em 1929 com a quebra da bolsa de Nova York. Todos pagaram com o inferno da falência.

Outra demonstração do poder do comunismo ocorreu em 2008, também nos EUA, terra do comunismo oculto, com o estouro da bolha imobiliária que quebrou empresas, bancos e se alastrou Europa afora.

Há que se acautelar mesmo com o comunismo. Quer (o comunismo) fazer com que todos paguem pela saúde básica, pela educação elementar e que trabalhem até a morte sem uma aposentadoria digna, que o trabalhador seja um objeto comum de exploração do mercado de valores, bem como detestam professores por tudo aquilo que eles representam: o estudo é propagador da insurgência e da violência.

Tudo isso é verdade, não aquela verdade, mas outra e qualquer uma. Não mais importa.

De fato parece cômico lidar com o mundo fake da pós-verdade, não fosse tudo tão trágico. 

(*) Dedicado a Tabata Amaral

Comentários
×