CPI dos Áudios pedirá quebra de sigilo telefônico de Galileu e mais 4 pessoas

Pollyanna Martins

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os áudios entregues por Marcelo Máximo de Morais (Marreco) no dia 23 de abril e que envolvem o prefeito de Divinópolis, Galileu Machado (MDB), pedirá a quebra do sigilo telefônico de investigados. De acordo com o presidente da comissão, Ademir Silva (PSD), o pedido está sendo formulado pelo procurador da Câmara, Bruno Cunha, para ser enviado à Justiça.

Conforme informou Ademir, será pedida a quebra do sigilo telefônico do prefeito, do editor do Divinews, Geraldo Passos, do ex-assessor especial de governo, Fausto Barros, do autor das supostas gravações, Marcelo Máximo, e da secretária municipal de Administração, Raquel Freitas.

— Os membros da CPI acharam por bem pedir ao Poder Judiciário a quebra do sigilo telefônico de alguns investigados. Ainda não foi autorizado, porque o pedido sequer saiu da Casa rumo ao Fórum. A solicitação ainda está sendo feita pela assessoria jurídica da CPI – esclareceu.

Novas oitivas 

A CPI já ouviu os depoimentos de Marcelo Marreco e do chefe de gabinete do prefeito, Djalma Guimarães. Serão ouvidos na segunda-feira, 9, o vereador Delano Santiago (MDB), o procurador-geral do Município, Wendel Oliveira, e o procurador federal Lauro Coelho. Os depoimentos começarão a partir das 13h. O primeiro a ser ouvido será Wendel Oliveira; o depoimento de Lauro Coelho está marcado para as 14h30; e de Jairo Gomes às 16h30.

Áudios

 

 

Comentários
×