Covid-19: Divinópolis está próxima de chegar a 100 mil doses aplicadas

Apenas 30 mil receberam a segunda dose; Prefeitura passa por desinfecção após surto de casos

Matheus Augusto

Divinópolis está prestes a chegar à marca de 100 mil imunizantes contra a covid-19 aplicados. O vacinômetro, atualizado ontem, aponta que 66.792 divinopolitanos já receberam a primeira dose da vacina. No entanto, apenas 30 mil receberam a segunda. Em mais um passo no processo de imunização, a Prefeitura liberou o cadastro, disponível em www.divinopolis.mg.gov.br, para as pessoas com 56 anos ou mais. Apesar do avanço, o desrespeito às normas de prevenção ainda compromete o combate à doença.

Óbitos

As mortes de mais três residentes foram confirmadas ontem. A primeira vítima, uma mulher de 89 anos, sem comorbidades, morreu no domingo, 13. Os outros dois óbitos ocorreram na segunda, 14: um homem, de 55 anos, com hipertensão arterial, e uma mulher, 88, portadora de doença neurológica crônica e cardiovascular crônica. 

Com os registros, a cidade chegou à marca de 463 mortes por covid-19.

Prefeitura

O Centro Administrativo voltou a receber nova desinfecção pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) após o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) testar positivo para covid-19. Ele é o quinto membro do alto escalão contaminado pela doença. Já haviam se contaminado: a vice, Janete Aparecida, do mesmo partido; o assessor especial de governo, Fernando Henrique Costa de Oliveira; o controlador-geral do Município, Diogo Andrade Vieira; e a diretora de Comunicação, Samara Souza.

Em atualização na tarde de ontem, foi informado que Gleidson Azevedo apresenta sintomas leves da doença e passa bem.

Segundo a Prefeitura, o prefeito realiza, regularmente, testes para a doença. O diagnóstico positivo foi confirmado na tarde de terça-feira, 15. No início da noite, agentes da Semusa foram até o Centro Administrativo fazer a desinfecção dos ambientes.

Os compromissos do chefe do Executivo foram suspensos e ele permanece em isolamento domiciliar. A Semusa orienta os cidadãos que tiveram contato com o prefeito nos últimos dias a procurar a unidade de saúde mais próxima.

Decretos apenas no papel

Em nota, a Prefeitura voltou a ressaltar o alto número de violações aos decretos vigentes. Na última semana, entre os dias 7 e 13, a Vigilância Sanitária, com o apoio da Polícia Militar, visitou 188 locais para verificar o respeito ao horário de funcionamento permitido e demais normas de prevenção ao coronavírus. Ao todo, foram 132 multas aplicadas e uma interdição determinada. 

— As ações de fiscalização resultaram em interdição de um laboratório e 132 autuações: 100 por participação em eventos e aglomerações, 23 em bares,  duas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto, duas em escola de ensino regular, uma em agência bancária, uma em loja de conveniência, uma em fábrica de roupas, uma em loja e uma por evento não autorizado pela Vigilância Sanitária — detalhou.

Sobre o evento citado, os fiscais emitiram um auto de infração sanitária sob responsabilidade dos organizadores. 

— O público abandonou os recintos sem transtorno — informou. 

Segundo a Prefeitura, “os locais listados para fiscalização foram priorizados de acordo com a quantidade de denúncias apresentadas sobre as atividades”.

Os agentes também fizeram inspeções nas escolas da rede municipal para avaliar a implementação das medidas sanitárias necessárias para a retomada das aulas presenciais. Levantamento da Secretaria de Educação (Semed) aponta que 46 das 52 unidades já tiveram seu protocolo de segurança sanitária aprovado pela Vigilância. Até o fim do mês, todas devem estar prontas para o retorno das aulas presenciais, que devem voltar em modelo híbrido, em 2 de agosto. 

Denúncias

Em caso de conhecimento de irregularidades, o cidadão pode denunciar os casos pelo WhatsApp (37) 99111-0030 ou pelo App Divinópolis, na aba “Coronavírus”.

— O órgão também requer a colaboração dos cidadãos quanto ao uso de máscara em locais públicos, à higienização das mãos e à prevenção de aglomerações, especialmente em festas clandestinas — orienta a Prefeitura.

 

 

Comentários
×