Corpo intacto encontrado em Brumadinho é de divinopolitano

Da Redação

O corpo do divinopolitano Carlos Roberto Pereira, que estava desaparecido desde 25 de janeiro, quando a barragem de Brumadinho se rompeu, foi encontrado na quarta-feira, 4. Mesmo estando desaparecido há mais de 160 dias, o corpo estava quase intacto.

Carlos Roberto tinha 61 anos e trabalhava como encarregado de almoxarifado de forma terceirizada na Vale.

Com o dele, já foram 247 corpos encontrados, mas 23 pessoas continuam desaparecidas. Nesta altura as chances de serem encontrados sobreviventes são quase nulas, mas os familiares ainda esperam encontrar os corpos dos desaparecidos para enterrá-los.

Identificação

A identificação foi feita 11h depois da entrada no Instituto Médico Legal (IML) e a família foi avisada horas depois da realização de todos os protocolos. 

O corpo chegou ao IML às 21h10 de quarta, 3, e a família foi informada às 17h de quinta, 4. A identificação foi feita pelo método da arcada dentária. Como o crânio estava preservado, foi possível comparar com fotos enviadas pela família de Carlos.

Até o momento o IML identificou 91,5% dos corpos. Dos 270 desaparecidos, 247 foram identificados. Ainda há 137 segmentos em análise. Destes, 30 já tiveram a primeira identificação de DNA e aguardam a segunda, como determina o protocolo legista. Em outros 30, não foi possível obter o DNA com a tecnologia que o instituto dispõe.

Comentários
×