Coronavírus: Divinópolis contabiliza 190 novas notificações

 

Da Redação

Dados divulgados nesta quinta-feira, 30, pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) apontam 190 novas notificações do novo coronavírus no município, totalizando 5.916 casos. Destes, 619 foram confirmados, 338 descartados, 556 recuperados, 22 óbitos e um em investigação. As informações foram disponibilizadas pelo Ministério da Saúde, por meio da plataforma “FormSUSCap”.

O percentual de ocupação dos leitos está em 29,8% para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde há 25 pessoas internadas, e 37% para enfermaria, com 50 pacientes recebendo cuidados médicos. O número de pessoas atendidas em ambulatório até a presente data, com quadro clínico de covid-19, é de 2.406. Atualmente, Divinópolis conta com 84 leitos de terapia intensiva e 135 leitos de enfermaria destinados exclusivamente para pacientes de coronavírus.

Quanto à faixa etária dos notificados, o boletim mostra que a população do sexo feminino é a mais atingida, com 3.087 casos, contra 2.829 do sexo masculino. Destes, 39 são crianças menores que um ano; 171 têm entre 1 e 4 anos; 115 entre 5 e 9 anos; 333 entre 10 e 19 anos; 2.892 entre 20 e 39 anos; 1.736 entre 40 e 59 anos; além de 630 casos suspeitos de pessoas com 60 anos ou mais.

Em relação à faixa etária dos infectados, um são crianças menores que um ano; seis têm entre 1 e 4 anos; cinco entre 5 e 9 anos; 24 entre 10 e 19 anos; 252 entre 20 e 39 anos; 233 entre 40 e 59 anos; além de 98 casos de pessoas com 60 anos ou mais. A população do sexo feminino contém mais infectados, contabilizando 329 casos. Enquanto isso, 290 são do sexo masculino.

A taxa de adesão ao isolamento social permanece em 35%, a de letalidade do vírus em 3,55% e o ritmo de contágio, que calcula a quantidade média de pessoas que cada contaminado vem a infectar, em 1,19 pessoas. O número que aponta o índice de infectados por 100.000 habitantes marca 259,83.

Segundo o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, a Semusa acompanha de perto a evolução do vírus no município e segue como parâmetro a matriz de risco elaborada em maio.

— Com o levantamento dos dados diário e análises da nossa situação, nos orientando pela matriz, podemos ter um panorama da situação pandêmica na cidade e tomar as medidas necessárias que o momento exigir — comenta Amarildo.

O secretario lembra que o momento ainda requer o isolamento social, uso de máscaras, evitar aglomeração, o uso de álcool gel e todos os outros cuidados de higiene para evitar a contaminação pelo vírus.

Comentários
×