Copasa terá obras fiscalizadas

 

Matheus Augusto

A insatisfação com os serviços prestados pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) em Divinópolis não é recente. O tema foi motivo de uma reunião com a Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário (Arsae-MG). Após conversa com os vereadores Eduardo Print Júnior (SD) e Sargento Elton (Patriota), e o deputado estadual Cleitinho Azevedo (PPS), a Arsae prometeu iniciar uma fiscalização na cidade nas vias que foram abertas para obras pela Copasa.

O encontro aconteceu ontem, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, e contou também a participação de líderes comunitários para relatarem a situação dos bairros.

Problemas

No encontro foram apresentadas imagens de obras ainda inacabadas pela empresa. Os parlamentares também expuseram questionamentos relatados por moradores de regiões afetadas.

Segundo o diretor da Arsae, Antônio Claret de Oliveira Júnior, a entidade irá fiscalizar, a partir de segunda-feira, 29, as vias com obras da Copasa e elaborar um relatório sobre a situação. Posteriormente, serão tomadas as medidas cabíveis.

Para Sargento Elton, que presidiu a Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da Copasa, o resultado da reunião foi positivo.

— Hoje [ontem] nós cobramos com pulso firme a Arsae para que, realmente, faça com que a Copasa honre seus compromissos, o contrato, os divinopolitanos e a cidade onde ela está há mais de 45 anos — destacou o edil.

Ainda segundo ele, apesar das irregularidades encontradas pela CPI, a empresa nunca foi autuada pela Arsae em Divinópolis.

— A Arsae nunca autuou esta empresa em Divinópolis, mesmo tendo comprovado material fecal no fornecimento de água dos divinopolitanos, falta de água, falta de licitação desde 1995, e a Prefeitura e suas gestões sempre foram fazendo prorrogações, aditivos contratuais. São várias irregularidades que nós detectamos durante a CPI da Copasa, inclusive improbidades em gestões anteriores — ressaltou.

O vereador informou também que, juntamente com Eduardo Print Júnior, irá acompanhar a comissão de fiscalização em seus trabalhos. 

Falta de água

Além das obras, outro problema que tem causado insatisfação na população é a questão da falta de água. Por vezes, os bairros sofrem com a interrupção do abastecimento. Esse ponto também foi apresentado pelos vereadores.

— É importante ter essa voz para que a Arsae e a Copasa vejam que são problemas sérios. Trouxemos líderes dos bairros Jardim das Oliveiras, Mangabeiras e Lagoa dos Mandarins para falar sobre diversos assuntos que têm deixado os moradores dessas regiões muito insatisfeitos. Em muitos bairros, a falta de abastecimento de água é corriqueira, e isso não pode acontecer numa cidade do porte de Divinópolis — destacou Eduardo Print Júnior. 

Ainda segundo o vereador, apesar da responsabilidade ser da Copasa, acaba sobrando para a Prefeitura.

— A Copasa começa as obras, para e joga a responsabilidade para a Prefeitura, como foi no bairro Candelária. Precisamos de medidas mais firmes — declarou.

Copasa

Em nota ao Agora, a Copasa informou não ter sido notificada oficialmente, porém “está preparada para atender às solicitações do órgão”. Sobre a questão da rua Mar e Terra, no bairro Jardim das Oliveiras, a empresa se defendeu dizendo que apenas parte dos danos no pavimento possuem relação com a obra realizada no local.

— A Copasa, juntamente com a empresa contratada, já elaborou o levantamento das providências necessárias para recuperação da via. Os trabalhos de limpeza, para tratamento da base e posterior recuperação do pavimento nos pontos afetados, começaram na manhã desta quarta-feira [ontem] — informou a Companhia.

Outra questão alvo de críticas são os atrasos nas obras. Uma delas, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Itapecerica, teve seu prazo de entrega prorrogado por duas vezes. Segundo a Copasa, a construção está em fase final e já teve o período de testes iniciado. A previsão é de a ETE começar a funcionar ainda no primeiro semestre deste ano.

Comentários
×