Copasa promete ETE para 1º semestre

Da Redação

As obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Bacia do Itapecerica, finalmente parecem caminhar para a conclusão. Segundo a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) mais de 85% da estrutura está pronta e o projeto deve ser entregue ainda no primeiro semestre deste ano. A Copasa afirma estar em fase final de urbanização do projeto, com a execução da rede de energia elétrica interna e pavimentação das vias da unidade.

Atualmente, a Companhia está terminando a montagem dos reatores responsáveis pelo tratamento dos efluentes. Um desses módulos já foi instalado, capaz de operar 100 litros por segundo. Espera-se a conclusão desta etapa até o início de março.

Razões

De acordo com o superintendente de operação Centro e Oeste, João Martins, as obras sofreram atrasos devido a problemas com fornecedores.

— Tivemos uma situação de atraso na entrega de materiais que prejudicou o planejamento e, consequentemente, afetou o início da operação que estava previsto para dezembro de 2018. Resolvida essa questão com os fornecedores, a obra está caminhando para sua fase final e, brevemente, estaremos iniciando os testes e pré-operação da unidade — explicou João.

A Copasa informou que este mês testes serão realizados na Estação.

— A estação elevatória, responsável por receber e bombear todo o esgoto da cidade para a ETE, já está implantada. Em fevereiro serão iniciados os testes pré-operacionais, sendo que todos os equipamentos já se encontram instalados. Finalizada essa fase, a ETE estará pronta para receber e tratar o esgoto de Divinópolis. O início da operação, ainda em fase de testes, está previsto para março, recebendo o esgoto dos bairros Jardim Candelária, Jardim das Oliveiras, Fonte Boa, Prolongamento Bom Pastor, Dom Cristiano e Eldorado — destacou em nota.

A empresa ainda ressaltou a importância do sistema de tratamento do esgoto para a cidade.

— Um dos maiores investimentos de esgoto em Minas Gerais, o empreendimento conta com investimentos da ordem de R$ 143 milhões. A nova estrutura, juntamente com o sistema da bacia do Rio Pará, em operação desde 2013, irá oferecer ao município um completo sistema de esgotamento sanitário, garantindo o tratamento de 100% dos efluentes coletados na cidade — afirmou a Copasa.

Estrutura

Uma das reclamações por parte de moradores e estabelecimento comerciais é a demora nas obras da ETE na rua Pitangui. Sobre essa questão, a Copasa declarou ter havido atrasos nas obras devido às condições do solo.

— A previsão é que a frente de trabalho na região da rua Pitangui terminem no início de março. As obras nesta região foram dificultadas pela condição do solo, com a presença de areia e água. A próxima fase será a implantação dos interceptores seguindo as margens do rio Itapecerica, prevista para o primeiro trimestre de 2019.  

Atrasos

As obras da ETE Itapecerica foram iniciadas no segundo semestre de 2016 e a expectativa de entrega da obra era para o fim do mesmo ano. Como o prazo não foi cumprido, a Prefeitura se reuniu com a Copasa para buscar um acordo. Ao fim do encontro, ficou definido uma extensão de 24 meses do prazo inicial. Porém, o novo prazo, dezembro de 2018, também não foi cumprido pela empresa. Agora o divinopolitano terá que, literalmente, pagar para ver se o novo cronograma divulgado pela empresa será cumprido.

Comentários
×