Copasa inicia 2ª fase da construção do Sistema de Esgotamento Sanitário em Divinópolis

Da Redação

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) iniciou nesta sexta-feira, 3, as obras da 2ª etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES). Com prazo de 12 meses para a conclusão, além das obras na bacia do Rio Itapecerica, está previsto no escopo licitado a implantação do SES Santo Antônio dos Campos (Ermida), que contempla a construção da Estação de Tratamento (ETE), elevatórias e interceptores. A construção dos interceptores possibilitará a implantação de infraestrutura de redes coletoras em várias regiões da cidade que hoje não contam com esse benefício. 

— A implantação do interceptor no Vila Romana possibilitará a construção de redes coletoras nos bairros São Geraldo, Prol. Halim Souki, Del Rey, Do Carmo, Univesitário e Primavera. Com o interceptor Bagaço serão interligadas as redes dos bairros Nova Fortaleza I, Nova Fortaleza II, Serra Verde, Nossa Senhora da Conceição. O interceptador Engenho permitirá a implantação das redes nos bairros Jardim das Acácias e Geraldo Perreira. Com a construção do interceptador Pari, serão implantadas as redes para atender aos bairros Terra Azul, Costa Azul e Maria Peçanha. O interceptador Milho Branco possibilitará o pleno atendimento dos bairros Jusa Fonseca, Dona Quita e Santa Rosa com as redes coletoras — comunicou, em nota, a estatal.

Segundo a Prefeitura, que assinou o termo de contrato no último dia 22, serão instalados 70 km de interceptores ao longo das margens do Rio Itapecerica e dos córregos contribuintes para captar os esgotos provenientes dos imóveis das regiões localizadas entre o bairro Belvedere até as margens do Córrego do Bagaço.

— As obras da 1ª etapa permitiram a implantação da ETE Itapecerica, estações elevatórias e interceptadores. Mais de 90% das estruturas da ETE estão concluídas e em fase de testes operacionais. A ETE do Itapecerica terá capacidade para tratamento de 400 litros por segundo e tratará 100% do esgoto coletado em Divinópolis — destacou.

O investimento na implantação e ampliação do sistema de esgotamento sanitário será de R$ 143 milhões. A Copasa também informou que, atualmente, o percentual de atendimento do serviço de água do municío é de 93,89% e o de esgoto de 82,86%. São tratados 3,68% do esgoto coletado na ETE do rio Pará.

 

Comentários
×