Contrato com administradora da UPA pode ser rescindido, diz secretário

Ricardo Welbert

O secretário de Saúde de Divinópolis, Rogério Barbieire, disse nesta quinta-feira, 5,que o contrato com a Santa Casa de Formiga para a administração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) pode ser encerrado. Ainda segundo ele, a contratada já manifestou interesse pelo rompimento três vezes, sendo a mais recente nesta quarta-feira (4), durante apresentação de um balanço do Hospital São João de Deus (HSJD).

Ainda segundo o secretário, a Prefeitura ainda precisa estudar o contrato para decidir se irá rompê-lo, pois, pelo que consta no documento, o governo corre risco de ter de pagar indenização de R$ 5,5 milhões à Santa Casa de Formiga pelo rompimento.

– Além disso, a UPA recebe verba federal e esses repasses têm sido feitos em dia. Não podemos recusar verba pública, pois corremos o risco de ser processados por improbidade administrativa – detalhou.

O Portal Agora pediu e aguarda resposta da Santa Casa de Formiga sobre as informações. Esta reportagem será atualizada com o contraponto quando ele chegar. 

Entenda a crise

Segundo o secretário, o Governo de Minas deixou de passar, até o momento, R$ 40 milhões à saúde, e a prestação de serviços passa por dificuldade para atender às demandas.

De acordo com nota divulgada pela Prefeitura, somente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto o Governo de Minas deixou de passar 13 parcelas de R$ 125 mil.

— Já o governo federal repassa R$ 500 mil por mês e esse recurso está em dia. A unidade, que atende 400 pacientes por dia — informou.  

Barbiere destacou que se empenha para custear a unidade sem o repasse estadual.

— Não podemos desassistir a população. Estamos empenhados em resolver os problemas da unidade. Se tiver uma paralisação de médicos, vamos resolver o mais rápido possível. Parar efetivamente não vamos. Temos uma responsabilidade social e será sempre prevalente. A UPA não fecha sexta-feira.

O secretário diz que a unidade ainda tem insumos básicos. Com relação à folha de pagamento médica, afirmou que a de julho está paga em 65%, representando R$ 600 mil do salário dos médicos que trabalham para a Santa Casa de Formiga. Já os profissionais lotados no município estão com os pagamentos em dia.  

Jornalistas acompanham coletiva de Rogério Barbieri (Foto: Pablo Santos/PMD)

 

Secretário diz que UPA aguarda recursos devidos pelo Estado (Foto: Pablo Santos/PMD)

 

Barbieri esclarece questões relacionadas à crise na saúde pública municipal (Foto: Pablo Santos/PMD)

 

Rogério Barbieri afirmou que rompimento com Santa Casa de Formiga poderia gerar improbidade (Foto: Pablo Santos/PMD)

 

Comentários
×