Continua firme!

Ontem, a notícia de que o Bento Menni não mais atenderia pelo SUS completou três anos. De lá para cá, nada de novo, pelo contrário continua tudo velho, caindo aos pedaços sem maiores esforços para o hospital continuar funcionando com um mínimo de dignidade.

Muita calma...

...nessa hora. O sempre atento colunista deste JA, Carlos Brickmann disse em sua coluna de sábado, que o Tribunal de Justiça de Pernambuco, abriu licitação para a compra de 60 smartfhones.  Como são apenas 52 desembargadores, a conta não fecha. Pior, cada smart custa R$ 12.633,00 e o valor licitado ficou na casa dos R$ 758 mil. Sabe-se que o mais caro smart do mercado é o da Iphone, que anda na casa dos 1000 dólares, ou algo em torno de R$3.200,00. Numa conta rapidinha, esse dinheirão daria para comprar mais de 250 telefones! Mas uma pergunta ficou no ar: por que o estado tem que comprar telefone para juiz, se os “normais” tem que pagar pelos seus? Pior, ainda tem que pagar a conta mensal de que essa turma lá de Pernambuco, como do resto do país, não paga nada. Somos ou não um país sério?

Aumentou

Meses antes de deixar a prefeitura, Vladimir Azevedo dizia que faltava muito pouco para o término das obras do Hospital Regional. “Algo em torno de 10, 12 milhões”, asseverava o ex-prefeito. Semana passada, repetiu-se a mesma lengalenga, com o vice Rinaldo Valério afirmando que realmente falta pouco dinheiro, “algo em torno de 15 a 20 milhões”. Como se passaram apenas 9 meses de  governo Galileu, é possível prever que se até junho do ano de 2019, quando Divinópolis completa 103 anos, este valores sejam revistos para alguma coisa em torno de 20 ou 30 milhões.

No andar desta...

...carruagem, um hospital que devia custar uma bagatela em pouco se tornará inviável. Esse pessoal da área da saúde precisa parar de sonhar e encontrar uma equação favorável. Se não tem dinheiro nem para os sofredores que trabalham ou que procuram a UPA, por que não pensar em outra saída mais inteligente. Que tal uns bingos, tipo aqueles do Estrela que o José Alonso fazia com tanto sucesso? É só aproveitar que ele agora está na prefeitura!!!

A hora do aperto geral

Quando Lula, no auge dos seus bons sentimentos deu isenções de impostos a montadoras de veículos, foi uma festa. Nunca se vendeu tanto carro como naquela época, e como os donos das revendas ganharam dinheiro! Depois Dilma abriu o seu coração generoso para a chamada indústria da linha branca, incluindo a geladeira, fogão, máquina de lavar etc. Mais uma grande festa aconteceu, e as grandes empresas abriram centenas de filiais pais afora.

No ultimo furo

Como resultado quem podia e quem não podia comprou os carros zero, enquanto quem vendia os usados foi quebrando de forma lenta e gradual. No Agora de sábado tem uma matéria interessante que reflete a atual angústia de quem vende caro zero: quase 20% de queda em setembro, se comparada ao ano passado, quando foram emplacados mais de 200 carros. Este número, nos bons tempos, era atingido apenas pela Fiat e Volks.

 

 

 

Comentários
×