Conta de luz deve ficar mais cara em outubro

Baixo nível hidrológico é desfavorável, o custo da energia é crescente

 

 

Jorge Guimarães 

Como ocorre na região Centro-Oeste, em Divinópolis, a chuva não chega há pelo menos 100 dias. Assim, o rio Itapecerica, em alguns locais, um córrego, Itapecerica vive seu calvário. Já falta de água, principalmente em bairros da parte alta da cidade, apesar de a Copasa garantir que o abastecimento não em nada a ver com o nível do rio e sim, por problemas em sua rede de distribuição. E pelo que se é passado pelos institutos de meteorologia, o cenário não deve alterar nos próximos meses, apesar de que a chuva pode vir, mesmo que em pouca quantidade, chegar no final do mês.

Se a situação por aqui está castigante em nível de Brasil, o  órgão regulador, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), avaliou o volume de chuvas e a situação dos reservatórios das hidrelétricas do país para decidir a cor da bandeira tarifária para o próximo mês

Assim, em nota a agência informou:

 — Como o sinal para o consumo é vermelho, os consumidores devem intensificar o uso eficiente de energia elétrica e combater os desperdício — ressaltou.

Vermelha 

Em virtude da atual situação, o diretor geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que a seca deve levar ao acionamento da bandeira vermelha no mês de outubro. Atualmente, vigora a bandeira amarela.

— O regime hidrológico é desfavorável, o custo da energia é crescente e o custo de acionamento das térmicas mais caras, dentro ou fora da ordem de mérito, vai elevar o custo da geração de energia — afirmou Rufino.

Desabastecimento 

Rufino disse que não há nenhum risco de desabastecimento, mas ressaltou que o custo da energia deve ficar mais caro nos próximos meses em razão do regime de chuvas, que não tem sido favorável há meses.

— O cenário não é favorável. O solo está com umidade muito baixa e a previsão de chuvas não é muito significativa. Isso significa que a afluência de águas para os reservatórios não tem um bom sinal — afirmou.

Incentivo a economia 

O governo também estuda a possibilidade de realizar uma campanha publicitária de incentivo à economia de energia. Em Minas Gerais, a Cemig já se adiantou e já está em andamento com o projeto “Café com a Cemig”, onde os colaboradores da estatal, inclusive em Divinópolis, vão a escolas, entidades e associações falando sobre o que é o evento. Além das dicas de economia de energia, tirando algumas dúvidas rotineiras, como exemplo: mudança de titularidade, alteração de data de vencimento, bandeiras tarifarias, etc.

 

Comentários
×