Consumidor se prepara para compras de preparo das ceias

Jorge Guimarães

As festas de fim de ano resgatam na memória um dos pratos mais tradicionais da ceia de Natal, o peru. Ele, que some durante o ano, volta a ser o mais comentado, apesar da concorrência do chester e das aves especiais. E para felicidade geral, os preços não alteraram muito em relação ao mesmo período do ano passado, assim, as opções para a ceia de Natal e Réveillon podem render um mix maior de variedade.

Práticos

A tradicional ceia de Natal é um dos momentos mais esperados nas festas de fim de ano. E, atualmente, muitas famílias optam por serviços mais práticos e convenientes para este encontro, sem perder a pegada tradicional que a época merece. E como é uma data mais familiar, diferente do Réveillon, os encontros familiares e com amigos geralmente são realizados em casa, mas sem muita perda de tempo na cozinha. Assim, as opções nas gôndolas dos supermercados são as mais diversas e dá para inventar o cardápio que o seu bolso pede.

Preços

Numa loja de supermercado, ontem, o preço da ave especial era a partir de R$ 17,48, e o peru era comercializado com valores entre R$ 15,98 e R$ 21,98. O chester era vendido a R$ 18,48. Outro que só aparece nesta época é o tender, que tem o preço de R$ 44,98. Lembrando que, na lista das ceias de fim ano, o mix de alimentos é muito variado e itens como azeites, legumes, peixes e condimentos também fazem a diferença, conforme a receita a ser preparada.

Para a dona de casa Lúcia Vasconcelos Teixeira, a tradição da ceia tem que ser mantida, mas com muita pesquisa de preços antes de realizar a compra dos ingredientes.

— A ceia, por mais simples que seja, sempre tem que ter. Para isso, já estou realizando as pesquisas de preços para o cardápio da noite de Natal. Confiro do mercadinho do meu bairro [ela mora no Alvorada], até os grandes atacados, pois cada centavo tem que ser bem gasto — avalia. 

Restaurantes

Segmentos de prestação de serviços, como bares e restaurantes, também faturam mais nesta época do ano. É que, além das festas familiares de Natal e Ano Novo, as confraternizações entre colegas de trabalho e distribuição de amigo oculto fazem a diferença no caixa do estabelecimento.

— Estamos com a agenda quase lotada, mas ainda temos lugares e dias disponíveis. O mais procurado é o dia 21, pois é o sábado que antecede o Natal, que neste ano cai numa terça-feira. Assim, o clima fica de pura animação, zoação, abraços e muita alegria no rosto de cada um — fala a empresária Iris Moreira.

Comentários
×