Construção com números tímidos

De janeiro a setembro apenas oito vagas com carteira assinada foram abertas

Pablo Santos

A construção civil em Divinópolis continua com dados tímidos em relação à criação de postos de trabalho nos primeiros nove meses. Na região, a situação do emprego formal registrou forte queda neste ano, apontou os dados do Ministério da Economia.

No acumulado do ano, a construção civil abriu apenas oito vagas na cidade. No mês passado, foram encerradas em Divinópolis 35 oportunidades, resultado das 199 admissões e 154 demissões, apontou o Ministério da Economia.

Nas 76 empresas da região, foram 208 vagas criadas neste ano de janeiro a agosto, de acordo com os dados da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). No ano passado, a situação estava com saldo bem superior. De acordo com os números, foram gerados 1.225 postos de trabalho de janeiro a agosto.

As obras de Infraestrutura criaram, no ano passado, 984 oportunidades e, neste ano, foram 336 cortes na região.

Em contrapartida, a construção de edifícios, por exemplo, abriu 74 vagas em 2019. Já no ano passado foram 490 postos com carteira assinada.

No Brasil, houve a criação de 593 mil empregos, sendo a construção civil responsável por 96,5 mil delas – pouco menos de 20% do total. Como referência, no mesmo período de 2018, houve a abertura de 568 mil empregos e a construção civil contribuiu com 65,5 mil postos, ou seja, 12% das vagas totais.

Índice

O índice de atividade da Construção da Fiemg em Minas Gerais cresceu 3,8 pontos frente a julho (46,7 pontos) e atingiu 50,5 pontos em agosto. O indicador ultrapassou os 50 pontos limite entre recuo e expansão e passou a sinalizar aumento da atividade, o que não ocorria desde outubro de 2012 (52,7 pontos). O índice ficou 1,0 ponto acima do observado em agosto de 2018 e foi o mais elevado para o mês em sete anos. O indicador de nível de atividade em relação ao usual marcou 38,9 pontos em agosto, o maior patamar em cinco anos. O índice avançou 8,7 pontos na comparação com julho, 30,2 e 10,4 em relação a agosto de 2018 28,5 pontos.

Comentários
×