Construção civil registra sinal de crescimento

Pablo Santos

A Sondagem da Indústria da Construção de Minas Gerais, publicação mensal realizada pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), em conjunto com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), apresenta um sinal de otimismo para o setor. Empresários do segmento da construção demonstram menos insatisfação com cenário atual.

A pesquisa apontou queda menos intensa da atividade e do número de empregados em junho. Apesar de permanecerem inferiores a 50 pontos – valor que separa recuo de elevação – os dois índices foram os melhores para o mês em cinco anos.

O índice de atividade da construção registrou 48,1 pontos em junho, crescimento de 5,2 em relação a maio (42,9 pontos). Com o resultado, o indicador aproximou-se da linha de 50 pontos – fronteira entre queda e aumento – e apontou redução menos acentuada da atividade. O índice, que acumulou elevação de 6,2 pontos no primeiro semestre de 2019, foi 5,4 pontos superior a junho de 2018 e o mais alto para o mês em cinco anos.

— No segundo trimestre de 2019, os empresários exibiram menor insatisfação com a margem de lucro operacional, com a situação financeira e com o acesso ao mercado de crédito. Dentre os maiores problemas enfrentados pelo setor, a demanda insuficiente foi o mais citado pela 12ª vez seguida, e a inadimplência dos clientes assumiu a segunda colocação no ranking — apontou a nota técnica da pesquisa.

Emprego

Ainda segundo os dados da Fiemg, o otimismo dos empresários com relação ao nível de atividade, às compras de insumos e matérias-primas, aos novos empreendimentos e serviços, além do número de empregados, cresceu em julho, e os indicadores registraram o maior patamar para o mês em sete anos.

— As intenções de investimento também aumentaram, após dois meses de queda — conclui a nota.

Comentários
×