Construção civil na região na contramão de Minas

 

Pablo Santos

A geração de emprego na construção civil caiu quase 60% na região Centro-Oeste de Minas Gerais. Estatística da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) aponta números negativos nos primeiros dois meses do ano, quando se confronta com os dados do mesmo período de 2018.

Conforme os dados disponíveis, nos primeiros dois meses de 2019, a construção abriu na região 241 vagas de emprego formal. No mesmo período de 2018, foram abertas na região 563 oportunidades na construção civil. A queda é de 57%, quando se compara os dois períodos.

A construção civil é dividida em três áreas: obras de infraestrutura, serviços especializado para construção, e construção de edifícios.

Obras de infraestrutura foi o setor da construção com maior queda. No primeiro bimestre do ano passado, foram criadas, na região, 484 oportunidades. Já neste ano, apenas 87 foram abertas.

Já na construção de edifícios, os números aumentaram. Foram 144 vagas criadas no setor no primeiro bimestre deste ano. No mesmo período de 2018, foram 127 vagas criadas, de acordo com a Fiemg.      

Nos serviços especializados para construção, o saldo melhorou. O primeiro bimestre do ano passado registrou corte de 48 vagas. Já neste ano, foram abertas 10 oportunidades no Centro-Oeste nos serviços especializados.

Divinópolis

Em Divinópolis, o setor tem saldo positivo de cinco vagas no primeiro bimestre. A situação em 2019 é melhor em comparação a 2018, quando no mesmo período foram fechadas 65 oportunidades de trabalho na construção civil.

Na comparação entre o primeiro bimestre de 2018 com o de 2019, o incremento no número de vagas de empregos formais na construção civil de Minas Gerais foi superior a 87,7%. No ano passado, nos dois primeiros meses do ano, o saldo entre admissões versus demissões no setor foi de 4.154 novas vagas. Agora, em janeiro e fevereiro deste ano, o resultado foi quase o dobro, com os 7,8 mil novos postos de trabalho gerados.

 

Comentários
×