Conselho Municipal de Saúde vai acionar Justiça para abrir hospital regional

Da Redação

O desejo da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) é para, em caso de necessidade, abrir o hospital regional, ainda inacabado, e utilizar parte da estrutura finalizado como leitos para pacientes com coronavírus (Covid-19). Essa ambição, no entanto, foi negada pelo Estado. Agora, em publicação no Diário Oficial dos Municípios Mineiros, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) anunciou que acionará o Estado através de um mandado de segurança. A solicitação é para que o hospital seja “aberto de forma emergencial”, seguindo a proposta do CIS-URG, órgão responsável pela administração do Samu. A intenção, como consta no documento, visa “dar suporte ao cenário previsto e considerando os impactos com restrição social”.

Ainda segundo o texto, o secretário executivo do CIS-URG, José Márcio Zanardi, garantiu a possibilidade de abertura do espaço necessário para uso em curto prazo, “colaborando na redução dos efeitos da crise”. Por fim, o conselho destaca a economia gerada pelo uso do hospital em vez da construção de uma nova estrutura para comportar os pacientes.

— (...) ao instalar o hospital no futuro, [o Executivo] teria que onerar novamente os cofres públicos com um investimento que já está sendo aplicado atualmente, e primariamente entendendo que o hospital será de fundamental necessidade para o cuidado posterior a crise nos casos suspensos hoje de procedimentos eletivos que se acumulam em todo o País — concluiu.

O conselho também comunicou a aprovação do Plano de Contingência Municipal para Infecção Humana pelo Coronavírus (Covid-19). Conforme anunciado, caberá aos membros acompanharem as ações desenvolvidas na cidade.

— (...) através de relatórios a serem fornecidos em tempo real pela Semusa, podendo sugerir alterações devido a situação de momentos futuros — destacou o CMS.

Cis-Urg

O prefeito de Carmo do Cajuru, Edson Vilela , presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da região Oeste de Minas (Cis-Urg), defende a utilização de dependências do Hospital Regional de Divinópolis (ainda em construção) na luta contra o Covid-19. Ele alega que, nas atuais condições, algumas dependências têm condições estruturais de atender emergências.

Comentários
×