Conselho

JOÃO CARLOS RAMOS 

A pedra é mestra em conselhos. Para que a precipitação do barro, se ambos estão parados, aguardando o construtor? Na vida, corremos, enquanto a alma aguarda a balança do pensamento.

O pensamento jamais pode correr atrás do vento, pois ele mesmo desconhece seu caminho. Em cada passo pode haver uma bomba diferente da outra. Um dia queremos algo e levantamos cedo para atingir o alvo. Alguém levantou mais cedo e ambos atingiram outro alvo, pensado por outros... Em vão vigia a sentinela se o mal vem de dentro ou de cima. Em vão plantamos na "sequidão de estio". ("A picada da sabiá não estraga a maçã, e sim o bichinho lá dentro...")

O homem vive pouco tempo, mesmo alcançando o centenário; sem contar os seus passos. Muitas decisões precipitadas resultam em armazenamento de ouro de tolos e tempo irremediavelmente perdido.

O grande poeta Rabindranath Tagore diz em seu poema sobre o tempo: "Longo é o tempo da minha jornada e longo é o caminho. Eu parti na carruagem do primeiro cintilar de luz e trilhei minha jornada, através da vastidão dos mundos, deixando pegadas em muitas estrelas e planetas. O percurso mais longo é aquele que mais se aproxima de você e a aprendizagem mais complexa é a que nos leva à absoluta simplicidade de uma melodia. O andarilho precisa bater em cada porta alheia para um dia encontrar sua própria entrada. Precisa vagar em todos os mundos externos, para que um dia finalmente encontre o seu santuário mais íntimo. Meus olhos vagavam por paragens vastas e distantes, até que os pudesse fechar e dizer: "Aqui está você". A dúvida e o clamor, onde? onde? derreteram-se nas lágrimas de mil córregos e inundaram o mundo com a certeza: "Eu sou!". Não precisamos de muitas vozes, quando o coração fala alto. Os gritos dele acordam somente crianças. Temos que meditar nas minas de  conselhos! 

Por que o mar não se enche, se todos os rios desembocam nele? Por que o amor ainda é um mistério e somente os amantes ouvem sua voz e se precipitam nos abismos um do outro? Por que jogam dinheiro no lixo, enquanto outros, famintos, estão cheios de indagações? Tais perguntas jamais terão respostas satisfatórias, pois até a exibição da sabedoria é falta da mesma. Com a pandemia da covid-19, sabemos que as fomes aumentaram  assustadoramente, principalmente a fome do coração um do outro. Precisamos de máscaras, distanciamento social e álcool em gel. As máscaras impedem-nos de falar em demasia.

O distanciamento social corta o vínculo com a carne, que é mister, pressagiando a morte, comum a todos os mortais. Álcool em gel nos educa, milagrosamente...

Os conselhos continuam sendo necessários, durante toda a vida, ainda que muitos se rebelem contra eles. O atalaia dos tempos antigos, do alto da torre de vigília, detectava a presença do inimigo e alertava os defensores da cidade. Igualmente, em tempos sombrios e pandêmicos como o nosso, há também atalaias do bem na boca dos jornais e demais órgãos midiáticos alertando o povo: os inimigos mais perigosos  estão a caminho!

Salvemos nossa pátria de todos os mentirosos! Defendamos nossas famílias dos lobos do ar!  Marquemos um território mental, onde não se multipliquem pensamentos que não sejam de amor.

A dona e dama da noite é lua! Esqueçam o sol e aguardem as clarinadas da alvorada.

Ouçam o murmúrio da cascata interior e aproveitem em paz a rica solidão.

jocarramos@gmail.com

Comentários
×