Conselho do Patrimônio de Divinópolis prepara tombamento de duas estações ferroviárias

 

Da Redação

Recentemente nomeado e empossado, o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Divinópolis (Compac) iniciou uma série de ações para garantir preservação de bens de valor cultural localizados em Divinópolis e promover formação dos cidadãos em ações de educação patrimonial.

Entre as ações, tombamento de estações ferroviárias de Santo Antônio dos Campos e de Amadeu Lacerda e registro da Divinaexpo, festa que alcançou condição de patrimônio imaterial de Divinópolis.

Os integrantes também iniciaram processo de visita a locais que se enquadram em critérios de preservação, de acordo com interesse público e cultural. Além de ações já em andamento, o Conselho possui lista de outros patrimônios que passarão pelo mesmo processo.

Patrimônio Cultural

A historiadora da Prefeitura e secretária do Conselho, Karine Mileibe, destaca que a discussão e a implantação de política municipal de patrimônio cultural são essenciais.

— É no Conselho que se debate sobre patrimônio cultural protegido por tombamento e por registro como patrimônio imaterial — afirmou.

 Mileibe ressalta ainda que o Conselho deve participar de ações de educação patrimonial para criar nos cidadãos sentimento de pertencimento e necessidade de preservação de patrimônio. 

— É preciso esclarecer, por exemplo, que tombamentos são dispositivos legais de que o Poder Público dispõe para preservar história e memória e não altera posse e propriedade de bem, nem significa desapropriação, e sim declara importância e impossibilidade de destruição e descaracterização, passando a figurar em Livro de Tombo — afirmou.

Conselho

Cabe ao Conselho, entre outras iniciativas, propor e aprovar bases de política de preservação de bens culturais do município e fixar critérios e diretrizes, relacionando-as com interesse público de preservação cultural. 

— A sociedade civil vem sendo, em processo cada vez mais crescente, a principal sustentação de políticas de patrimônio e preservação de memória — afirmou o historiador Faber Clayton.  

Segundo o secretário municipal de Cultura, Gustavo Mendes, o município busca fortalecer a preservação de bens culturais. 

— Por isso é fundamental preservar identidades que representam valores, modos de pensar e constroem cultura. Trata-se de rede constituída por múltiplos atores sociais para fortalecer políticas públicas do município — destacou. 

O Compac reúne-se novamente nesta quarta-feira, 7, às 15h, na Sala de Multimeios da Biblioteca Ataliba Lago. A reunião é aberta à população.

Comentários
×