Conselho do Galo aprova construção da Arena MRV

Estádio terá capacidade para 41,8 mil torcedores; inauguração deve acontecer em 2020

José Carlos de Oliveira

Em reunião extraordinária realizada nesta segunda-feira, 18, no auditório Elias Kalil, na Sede de Lourdes, em Belo Horizonte, o Conselho Deliberativo do Clube Atlético Mineiro aprovou projeto que viabiliza a construção da Arena MRV.

A reunião foi aberta pelo presidente do Conselho Deliberativo, Rodolfo Gropen, que solicitou a execução do hino atleticano. Também compuseram a mesa dos trabalhos o presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, o vice-presidente do Conselho, Sérgio Sette Câmara, o membro do Conselho de Ética e Disciplina, José Murilo Procópio de Carvalho e o membro do Conselho Fiscal, Sérgio Rodrigues Leonardo, além do secretário do Conselho, Rogério Eustáquio Furtado da Costa.

Entre os 337 conselheiros que compareceram à votação desta segunda-feira, destaque para o prefeito de Belo Horizonte e ex-presidente do clube, Alexandre Kalil, que foi quem deu o voto de número 260, que dava a vitória ao Sim, por volta de 14h37. Também votaram pelo sim o senador Antônio Anastasia, o jornalista Chico Pinheiro e os ex-presidentes Ricardo Guimarães, Ziza Valadares, Nélio Brant, Paulo Cury e Afonso Paulino, além do assessor de relações institucionais e ex-presidente do conselho Deliberativo, Emir Cadar.

Quase unanimidade

Dos 390 conselheiros com direito a voto, 337 compareceram à reunião de ontem. Por volta das 21h, a diretoria do Conselho Deliberativo divulgou o resultado da votação. O Sim obteve 225 votos, com 12 conselheiros votando contra a construção do estádio.

Novos passos

Agora, o Atlético trabalha para tornar realidade o projeto da Arena MRV. A aprovação do conselho não basta para que a obra possa começar. Caberá ao prefeito Alexandre Kalil encaminhar um projeto de lei para a Câmara Municipal, onde o plano será debatido e precisa ser aprovado por dois terços dos vereadores.

Em seguida, o projeto segue para o Conselho Municipal de Meio Ambiente, responsável pelo licenciamento ambiental. Por fim, o início da construção dependerá de um alvará da Secretaria de Regulação Urbana. Todo o processo deve demorar até seis meses. A previsão é que a obra dure 2 anos e meio, ficando pronta no fim de 2020.

O estádio

O projeto do novo estádio do Galo prevê uma arena com capacidade para 41,8 mil pessoas, e parte dos torcedores poderão ficar num setor cada vez mais raro nos estádios brasileiros: a geral.

O estádio será erguido em um terreno do Bairro Califórnia, na Região Oeste de Belo Horizonte, que foi doado pela construtora MRV. O loteamento fica na Via Expressa, ao lado do Anel Rodoviário. De acordo com Nepomuceno, o local tem 56 mil m² e está avaliado em mais de R$ 50 milhões.

O dinheiro

O Atlético prevê um custo de R$ 410 milhões. Desses, R$ 250 milhões virão da venda de 50,1% do shopping Diamond Mall à empresa Mutiplan, atual administradora do centro de compras. Outros R$ 100 milhões são relativos à venda de quase 5 mil cadeiras cativas (60% desse valor foi assegurado pelo banco BMG) e mais R$ 60 milhões do naming rights (venda do nome do estádio a uma empresa), já garantido pela MRV. O Atlético ficará com 100% da renda gerada na arena.

Comentários
×