Confraria homenageia hoje Itamar de Oliveira

Fernando Camillo

Os seletos amigos do jornalista, escritor e produtor cultural, Itamar Antônio de Oliveira preparam jantar de confraternização para relembrar os bons tempos em que o eterno boêmio era presença marcante e indispensável nas rodas e nos bares do conhecido “Circuito da Zona Boêmia”, como ele mesmo gostava de definir. O local escolhido para a confraria, Bar do Chico Guapé, era uma das referências e um dos redutos mais frequentados pelo indecifrável escriba Itamar de Oliveira. O jantar “in memória” é hoje a partir das 19h com menu preparado pelo chef Cleber Adriano Carvalho: arroz branco, frango caipira e tutu.

Itamar morreu no dia 29 de julho de 2013.

Memória

O “ITA” sempre reunia a sua trupe para confabulações. Já se vão pelo menos 8 anos, do dia em que  Itamar numa mesa com seus asseclas, discursava com propriedade sobre a biografia de Emesto Guevara de La Sema; o Che Guevara. Alguém se propôs a emitir a sua opinião sem um profundo conhecimento de causa. Foi quando veio o comentário implacável do marquês.

— Se você não conhece a fundo a biografia do “CHE”, melhor silenciar (ouvir) e aprender com quem sabe. Eu estive no local onde ele foi esquartejado. Acompanho a sua trajetória desde sempre. Poucos sabem como eu. Então, melhor aprender com quem literalmente conhece desta história — disse aos risos.

 E com Itamar de Oliveira era sempre assim:  ali mesmo, na mesa de um butiquim nasciam projetos inéditos que só poderia sair da cabeça brilhante e pensante, de um dos melhores escribas que Divinópolis já teve. E foi pensando no resgate da memória e de parte da história deste ícone da imprensa local que amigos diletos resolveram prestar esta justa homenagem. O início da ideia da homenagem e do jantar se deu numa viagem a Belo Horizonte, em companhia do psicólogo Aloísio Fernandes Neto e de sua companheira, Cláudia Andrade.

— Por um bom tempo relembrávamos com um certo saudosismo, das proezas vividas e narradas pelo protagonista de todas as histórias em vida, Itamar de Oliveira — resume os três.  

Tem também a faceta de boêmio e de vencedor de festivais de música no passado. Itamar, Kiko Lara, Chola, Fú (filho do saudoso Carlos Altivo), sempre disputavam as finais  realizadas no passado recente em Divinópolis. Por conhecer muito de música, também, Itamar sempre requisitava na noite, dos violeiros de plantão (como Marco Antônio Clementino) que entoasse músicas francesas e claro, Buena Vista Social Clube.

Serviço

Jantar in Memórian: uma homenagem a Itamar de Oliveira - o marquês de Gravatá

Hoje, às 19h, no Bar do Chico Guapé, avenida 21 de Abril, 1055.

 

Comentários
×