Confirmado 4º caso de febre maculosa em Divinópolis

 

Gisele Souto 

Divinópolis já contabiliza quatro casos de febre maculosa. A vítima desta vez é uma criança de oito anos, que está internada. A menina deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na tarde do último sábado, 25, quando foi levantada a suspeita da doença.

O médico plantonista que a atendeu, Marcelino Marcelino Alves informou que ela apresentava febre, dores musculares e perda de apetite. Disse ainda, que a criança foi picada por carrapato dois dias antes.

Foram realizados exames e amostras foram enviadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte. Os resultados saíram na segunda-feira, 27, confirmando a febre maculosa.

A menina está internada no Complexo de Saúde São João de Deus (HSJD) e seu estado de saúde, segundo o hospital, é estável.

Um dado chama a atenção. A menina é estudante da Escola Municipal Darcy Ribeiro, que fica na entrada do Parque da Ilha, onde as três vítimas que morreram frequentaram poucos dias antes de terem os primeiros sintomas da doença. 

Escola 

Um dia depois de a Prefeitura ter interditado o Parque da Ilha, mães de alunos se manifestaram no último dia 9, pedindo também o fechamento da escola.

Elas procuraram o Conselho Tutelar pedindo a interdição. Contaram que impediram seus filhos de irem às aulas após a confirmação dos casos. Na ocasião, cerca de 50 alunos deixaram de assistir as aulas.

O Conselho Tutelar disse às mães que não tinha poder de fechar escola ou obrigar pais a levarem filhos às aulas, podendo apenas intermediar as possibilidades de solução para o impasse.

Procurada no dia, a secretária municipal de Educação, Vera Prado, informou que todas as medidas cabíveis para prevenir a infestação de carrapatos na escola já haviam sido tomadas e que as aulas não seriam suspensas.

Ela disse ainda que a escola é dedetizada a cada 90 dias. 

Outros casos 

Com o quarto caso de febre maculosa confirmado, Divinópolis passa a ter o maior número de registros da doença em Minas Gerais. Quanto às mortes, empata com Itaúna, com três cada. No Estado são 16 registros. Desses, oito pessoas conseguiram a cura e oito morreram. Os números são da Secretaria de Estado da Saúde (SES) por meio da Superintendência Regional de Saúde (SRS). 

Mortes

Entre as três mortes registradas na cidade está a de um idoso de 63 anos. Ele deu entrada na UPA e foi transferido para a Sala Vermelha do Complexo de Saúde São João de Deus, onde morreu. Amostras de sangue na Funed confirmaram.

Antes, uma jovem de 24 anos morreu no dia 1º de julho em decorrência da doença. Depois dela, outro idoso também não resistiu. Ele tinha 81 anos e deu entrada no Hospital Santa Mônica no dia 20 de julho, com febre alta e dores no corpo e morreu no dia 23. Em comum, os três estiveram no Parque da Ilha dias antes de terem os primeiros sintomas. 

Interdição 

Por causa das confirmações dos casos, a Prefeitura de Divinópolis interditou o parque por período indeterminado e reforça as ações de saúde pública tomadas pelo Município no sentido de combater novos possíveis casos da doença. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), os portões ficarão fechados até passar período de infestação, que vai até o final de outubro. 

A doença 

A febre maculosa é uma doença infecciosa presente no país já há muitos anos. O primeiro relato ocorreu em 1929, em São Paulo, e atualmente a doença é registrada nas regiões Sudeste e Sul do Brasil. Em Minas Gerais, a ocorrência é relatada desde a década de 1930, mas ainda hoje a doença causa dúvidas na população em geral.

Causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, é transmitida ao homem pela picada de carrapatos infectados, principalmente os popularmente conhecidos como carrapato-estrela. Embora casos da doença possam ocorrer durante todo o ano, é no período seco, especialmente entre os meses de junho e novembro, que eles ocorrem com maior frequência.

Comentários
×