Confira a coluna social desta quinta, 4 de fevereiro

Marco Aurélio Braga

O prefeito Gleidson Azevedo (PSC) reuniu representantes de mais de 100 protetores de animais de pequeno porte para tomar ciência da grande demanda da causa na cidade. No encontro, foram colocadas as dificuldades encontradas hoje no Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental de Divinópolis (Crevisa) e também foi pautado que a castração tem de ser eficiente para resultado da imensa demanda, principalmente em cães e gatos de rua. Para que isso ocorra, esses cães e gatos de rua precisam de sete dias pós-cirurgia, lembrando que o Crevisa tem toda essa estrutura. Na reunião também foi proposta a criação de uma UPA Veterinária 24 horas, com o apoio da Prefeitura, pois os equipamentos para este espaço o Município já os tem no próprio Crevisa, assim como quatro veterinários, no entanto, a distância do local inviabiliza seu bom funcionamento. Para se ter uma ideia da localização distante, nenhuma linha de ônibus passa na porta. Importante lembrar que a Saúde Animal está lotada na Secretaria Municipal de Saúde, tem verba carimbada dos governos federal/estadual e ganha muitas emendas de parlamentares para castração. No entanto, existe muita burocracia na Semusa e essas emendas não conseguem ficar com exclusividade para castração. Foi sugerido ao prefeito que, para a criação da UPA Veterinária, atendendo a atropelamentos e urgências em cães e gatos de rua e de pessoas com baixa renda, seja criada uma fundação que seria monitorada pelo Ministério Público. 

Outra secretaria

Outra sugestão dos participantes do encontro foi a de retirar da Semusa e transferir para a pasta da Secretaria do Meio Ambiente as verbas carimbadas da Saúde Animal. O prefeito ficou de estudar a proposta e pediu à vice-prefeita, Janete Aparecida, para encabeçar essa causa. Na última semana, uma comissão que representou os mais de 100 protetores na cidade, composta por Iris Moreira, Lú Coelho e Vanessa, apresentou toda a situação para ela. Tudo isso aconteceu graças ao vereador Flávio Marra, que abraçou a causa, reuniu as pessoas, criou um grupo de WhatsApp para discussão do assunto e agendou com o prefeito a reunião. O edil também protocolou na Câmara Municipal dois anteprojetos de lei que trarão uma boa evolução para a causa e a cidade. Um se designa a regulamentação do uso de carroças, e o outro a criação do Conselho Municipal da Saúde Animal, que deve ser paritário.

Continuidade

Uma reunião na Prefeitura de Divinópolis, ontem, às 16h, teve como pauta saúde animal e a criação de um hospital municipal veterinário. Participaram do encontro o prefeito Gleidson Azevedo (PSC), a vice, Janete Aparecida, o deputado estadual Noraldino Júnior (PSC), o vereador Flávio Marra (Patriota), as representantes da causa animal Cristina, Bete, Kelly, Raquel, Amanda, Edimara, Lú e Vandinalva. No encontro, foram pontuadas as necessidades do município para atender com dignidade os animais de rua necessitados.

Aposentadoria

Os mais de 30 anos dedicados ao ofício, boa parte deles na América, fizeram de Arcilene Assis uma das referências no mercado mundial da beleza. Seja em Divinópolis ou em Pompano Beach (Flórida), suas mãos encantaram e conquistaram clientes fiéis que agora sentem-se “órfãos” depois que a oliveirense por nascimento optou por aposentar as tesouras. Agora, depois de vender seu moderno centro de beleza nos Estados Unidos, ela seguiu para a Europa, onde ficará três meses em Portugal, curtindo a chegada do primeiro neto, Arthur, filho de Felipe Assis e de Adriana Gaiofatto, que residem por lá.

Triste realidade

O comércio de Divinópolis, como em todo o mundo, sente muito os prejuízos causados pela pandemia, o que ocasionou o fechamento de tradicionais pontos comerciais por aqui. Nesta semana foi a vez de a BBC 24 Horas deixar o mercado, no qual atuou por mais de 20 anos na avenida 1º de Junho, esquina com rua Itapecerica.

Espaço

Diretores do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram) estiveram no Centro Administrativo nesta terça-feira,2, para verificar as condições de trabalho após a mudança de setores administrativos da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) para o local. Participaram da vistoria a presidente, Luciana Santos, o vice-presidente, Wellington Silva, e a diretora de formação sindical, Geise Silva. Eles notaram que servidores estão amontoados em espaços totalmente inadequados para o bom desempenho das funções. Além do desrespeito às normas de segurança contra a covid-19, os sindicalistas também observaram que o espaço reduzido vai prejudicar o bom desempenho profissional, além de inibir o acesso da população, já que a Semusa ficou dividida entre os 3º e 4º andares. Parte da Vigilância Sanitária será instalada na garagem do Centro Administrativo.

Comentários
×