Confecção em Divinópolis tem o pior julho em sete anos

Cidade ficou com o pior resultado entre os polos confeccionistas do estado

 

Pablo Santos   

Historicamente julho para a indústria confeccionista divinopolitana é o segundo mês com maior volume de corte de emprego perdendo somente para dezembro. Neste ano, as eliminações de postos de trabalho atingiram o pior resultado desde 2011 no começo do segundo semestre, de acordo com os dados disponíveis do Núcleo de Pesquisas do Vestuário (Nupev) do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais de Divinópolis. Em contrapartida, agosto é o mês com saldo positivo. 

Foram encerradas em julho 134 oportunidades do setor. 

— O polo confeccionista de Belo Horizonte obteve o melhor resultado, com a criação de 32 empregos no mês de julho de 2017. O pior resultado foi de Divinópolis, que registrou 134 desligamentos no mesmo período — explicou o coordenador da pesquisa, Antônio Guimarães Campos. 

Além de Divinópolis e Belo Horizonte, a pesquisa também analisou o cenário do emprego em outras três polos confeccionista do estado.  Em Formiga foram criadas em julho 11 oportunidades de emprego e Muriaé outras duas no mesmo mês. Já em Juiz de Fora o resultado foi negativo e o corte em julho foi de 41 oportunidades. 

  Julho 

 As vagas fechadas na cidade em julho foram também o resultado mais negativo em sete anos. No começo do semestre de 2011, foram eliminadas 112 oportunidades e, em 2016 no mesmo período, 103 vagas. Em julho de 2013, foi registrado o menor volume de oportunidades fechadas: 31. A pesquisa revela que, historicamente, julho é o segundo mês de fechamentos de oportunidades com média de 72 vagas encerradas. Dezembro é o período com maior volume de corte com média de 257 postos de trabalho fechados. 

No entanto, agosto é o mês com números positivos. Os dados deste ano ainda não foram divulgados e ainda estão sendo elaborados pelo Ministério do Trabalho.   

No ano passado, por exemplo, foram criadas em agosto 82 vagas na cidade e, o melhor mês dos últimos sete anos, foi 2011 quando foram abertos 129 postos de trabalho na cidade. 

 Acumulado  

De janeiro a julho, as vagas de emprego encerradas na cidade somaram 420, ou seja, em média, são 60 oportunidades de emprego eliminadas na indústria do vestuário de Divinópolis. 

 

 

Comentários
×