Compras de produtos estrangeiros caem na região

Importações reduziram 11% no Centro-Oeste, aponta Fiemg

Pablo Santos

As importações concluídas pelas empresas do Centro-Oeste caíram 11,2% nos primeiros sete meses do ano. Números da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) confirmam o declínio das compras até julho. Em Minas Gerais e no Brasil, o cenário é semelhante. 

Conforme os dados da Fiemg, nos primeiros sete meses foram adquiridos pelos 76 municípios do Centro-Oeste US$ 106 milhões de itens importados. No mesmo período do ano passado, foram comprados US$ 119,4 milhões, ou seja, queda de 11,2% apontou a Fiemg.

Quando são consideradas somente as importações concretizadas pela indústria, o declínio percentual é 11,1%, semelhante aos números gerais. Neste ano, até julho, foi negociada com o exterior a cifra de US$ 99,4 milhões, e, no mesmo período de 2018, foram US$ 118 milhões, de acordo com os dados da Fiemg.

Três anos

Nos últimos três anos, o melhor desempenho das importações foi em 2016. Naquele período, foram US$ 216 milhões em compras de produtos estrangeiros. Um ano depois, o valor caiu para US$ 194 milhões de itens importados pela região.

Já no ano passado, as compras de produtos pelas empresas do Centro-Oeste voltaram a subir e chegaram à cifra de US$ 200 milhões, de acordo com os números da Fiemg.

Brasil

No Brasil, o cenário mostra equilíbrio nas compras de itens importados no mês. A vinda de produtos de fora somaram US$ 83,77 bilhões, ou seja, mantiveram-se estáveis perante os seis primeiros meses de 2018 (US$ 83,80 bilhões). No acumulado do ano, as importações chegaram a US$ 17,761 bilhões, redução de US$ 8,9% também pela média diária.

Minas Gerais

As importações totalizaram US$ 4,22 bilhões em Minas Gerais, quantia que representa um recuo de 1,3% no comparativo com 2018 (US$ 4,28 bilhões).

No ranqueamento entre os estados brasileiros, Minas detém a sétima posição. O estado contribui com 5,04% das compras oriundas do mercado internacional.

Comentários
×