Compras de Natal

Célio Tavares

Já estamos chegando no Natal e muitas pessoas exageram nas compras e acabam entrando no vermelho. É bom lembrar que dinheiro existe para dar prazer, mas se você vive “pendurado” no cheque especial, cartão de crédito ou mesmo sem condições de alimentar uma poupança, não conseguirá desfrutar desse prazer. É preciso saber se organizar.

        A organização das finanças pessoais requer sacrifício. É de suma importância que as pessoas mantenham um padrão de vida dentro de suas possibilidades. Gastar mais do que se ganha é o principal erro cometido.

        Usar sempre o cheque especial, efetuar sempre o pagamento mínimo do cartão de crédito e atrasar as contas da casa indica falta de organização.

        Nessa época somos estimulados a consumir acima de nossas possibilidades e temos que ficar atentos para não entrarmos no vermelho já no início do ano. Aqui vão algumas dicas para as compras de Natal.

 

  • Antes de fazer as compras é bom você saber quanto pode gastar.

Principalmente se a compra for feita a prazo, pois o valor da prestação pode se encaixar no seu orçamento hoje, mas em certas épocas do ano surgem despesas que podem provocar o descontrole financeiro. Fique atento, analise os compromissos financeiros que você precisa saldar. Não ceda aos estímulos oferecidos pelos anúncios na mídia. É bom estar consciente do quanto você pode gastar, pois a tentação na hora das compras é grande e se você não tomar cuidado, nessa hora, pode entrar num ciclo perigoso de endividamento.

 

  • Faça as compras com antecedência e pesquise os preços.

Aproveite que as lojas ainda estão vazias, o que possibilita as negociações e você terá mais opções de escolha, tendo tempo também para pesquisar preços em várias lojas, o que é fundamental para uma boa compra. Principalmente nessa época, a pesquisa de custos é muito importante, pois a diferença de valores tende a ser muito grande.

 

  • A melhor maneira de comprar é comprar à vista.

Nas compras à vista, todo poder está do lado do consumidor. Você terá bons descontos se tiver paciência em negociar com o dinheiro na mão. Na tabela abaixo estão relacionados os descontos mínimos que você pode reivindicar em uma compra à vista. Por exemplo, seja uma compra no valor de R$ 1.500,00 e a loja oferece o plano de “10 vezes sem juros”, isto é, 10 parcelas, com entrada (1 + 9), de R$ 150,00. Entrando na tabela na coluna “com entrada” até atingir a linha 10, obtemos o valor 12,14%, que será o desconto para pagamento à vista, ou seja, a compra sairia por R$ 1.317,90 (1.500,00 – 12,14%). A taxa mensal para o cálculo do desconto é de 3% ao mês, que corresponde a 42,58% ao ano, bem acima da taxa Selic, pois, pagando à vista, você não deve pagar riscos de inadimplência, custos operacionais do financiamento e impostos.

 

Número de

Percentual de Desconto

Parcelas

Com Entrada

Sem Entrada

3

2,88%

5,71%

4

4,28%

7,07%

5

5,66%

8,41%

6

7,00%

9,71%

     

7

8,33%

11,00%

8

9,62%

12,25%

9

10,89%

13,49%

10

12,14%

14,70%

11

13,36%

15,89%

12

14,56%

17,05%

 

 

 

  • Cuidado com o crédito fácil.

Tenha cuidado para não cair na tentação do crédito fácil e dos apelos publicitários cada vez mais sofisticados e acabar comprando algo desnecessário. O mercado está recheado de técnicas que incentivam o consumo, que vão desde o crédito fácil até promoções “maravilhosas”.  Evite a tentação de assumir um financiamento, mesmo que a prestação caiba no seu salário. Muitas lojas usam o artifício de financiamento sem juros com o objetivo de aumentar as vendas e se você não ficar atento pode acabar comprando mais do que precisa realmente.

 

        Conheça o nosso canal no YouTube

 

Assista aos nossos vídeos sobre finanças empresariais e pessoais no nosso canal do YouTube: Célio Tavares Vídeos, que tem como objetivo orientar as pessoas para que elas tenham sucesso nas suas finanças pessoais, empreendimentos e investimentos e  com vários vídeos, sobre finanças empresariais e pessoais.

ctavares@ctavares.com.br

Comentários
×