Como enfrentar um processo de divórcio quando se tem filhos

Bruna Luisa Fonseca - OAB 

O divórcio é uma decisão bastante difícil que muitos casais enfrentam, principalmente quando se tem filhos, pois este processo vem carregado de muita dor.

São vários os quesitos que devem ser discutidos em um divórcio, como divisão de bens, guarda, visitação e pensão alimentícia dos filhos, pensão alimentícia para os cônjuges, dentre outros. Sendo assim, muitos casais enfrentam dificuldades pela melhor decisão quanto a esses, causando, assim, um sofrimento maior para ambos.

O que muitos não percebem é que, para os filhos, o trauma é ainda maior, pois estão acostumados a terem os pais em casa, vivendo sob o mesmo teto, no qual eles têm livre acesso a ambos. Muitos filhos, inclusive, não compreendem o motivo da separação, principalmente quando passam a presenciar várias discussões entre ambos em relação às decisões a serem tomadas, o que pode causar muitos transtornos psicológicos e emocionais.

Em diversos casos, os filhos são assistidos por um psicólogo, para que os traumas dessa separação sejam de menor impacto para eles. Este acompanhamento é recomendado inclusive pelos advogados das partes, pois muitos filhos desenvolvem comportamentos agressivos, depressivos, dentre outros, durante este processo. 

A adaptação dos filhos para este novo cenário é bastante difícil, principalmente quando os pais não conseguem ter uma boa convivência. Em diversos casos, os pais não conseguem sequer conversar sobre as questões que envolvem os filhos.

Deste modo, é necessário que os cônjuges observem de perto a reação de seus filhos diante do divórcio, colocando as necessidades deles em primeiro lugar, para que os impactos desta ação judicial não sejam prejudiciais à saúde psicológica e física destes.

Por isso é essencial que os cônjuges tenham um relacionamento de respeito entre eles e principalmente diante dos filhos, evitando, assim, que estes não presenciem discussões desnecessárias que ferem a todos.

 

Comentários
×