Comitiva já se movimenta para o 'Prato da Casa' 2018

 

Jorge Guimarães

Uma enquete na rede social do projeto Prato da Casa foi lançada, e neste ano o público participa com indicações dos bares participantes da 14ª edição deste que já se tornou um dos maiores festivais gastronômicos de comida de raiz do Brasil.

Segundo o idealizador, Gustavo Bicalho, mais de 260 bares foram indicados pelos botequeiros internautas.

— Fizemos uma triagem dos botecos indicados e 63 bares estão sendo visitados pessoalmente por nossa organização. Compartilhamos as visitas em nossa rede social e a participação do público se tornou um fenômeno. Mais de 69 mil pessoas visualizaram, curtiram e compartilharam nossos vídeos, e isso, já tem transformado a vida de alguns botecos da cidade que desde já, já estão colhendo frutos garantindo lotação máxima mesmo antes de lançarmos a relação dos bares participantes — avalia.

Credibilidade

Tamanho sucesso só veio confirmar a credibilidade do evento que em breve vai atingir todo o Estado, pelo menos é a nossa meta e o que esperamos.   

— Este fenômeno vem para provar que o Prato da Casa é mesmo a grande ferramenta de fomento de bares e do turismo gastronômico de nossa cidade,  — define Bicalho. 

“De janeiro a janeiro”

Em parceria com a Ambev, o Prato da Casa irá realizar nos meses de abril, maio e junho, uma rota pelos principais botecos de Divinópolis. O intuito é promover bares de pequeno porte, através de promoção de pratos distintos casados com promoção de cerveja. Em abril serão lançados bares que servem peixe frito, torresmo e bolinhos, em maio, os servem churrasquinhos, costelinhas e carne de panela; junho bares que servem pratos quentes como Feijoadinha, pé de porco e feijão tropeiro.

Seletiva

Os bares estarão ainda participando da seletiva para a edição do Prato da Casa de 2018.

— Alguns bares participantes do projeto “De Janeiro a Janeiro” não possuem estrutura física capaz de atender a grande massa do festival em julho e agosto, uma vez que em alguns estabelecimentos até mil pessoas em uma única noite chegam a visitar o boteco na busca pelo tira gosto perfeito — detalha, Bicalho.

Porque o nome?

Com a intenção de melhor atender os proprietários dos estabelecimentos, a organização do festival gastronômico elaborou uma nova estratégia.  

— Queremos atender aos pedidos de nossos botequeiros, e a cada ano cresce mais o pedido de aumentarmos o período e opções de bares no nosso festival. Portanto, começaremos agora em abril e iremos até abril de 2019. Por isso, a brincadeira com a expressão “de janeiro a janeiro” — finaliza Gustavo.

Comentários
×