Comitê contra coronavírus autoriza reabertura de autoescolas e do Mercado Municipal

Da Redação

Divinópolis deu ontem mais um passo na volta gradual à normalidade. O Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus autorizou, em reunião na terça-feira, 19, a reabertura do Mercado Municipal. A decisão segue o mesmo padrão de outros setores na cidade, ou seja, os responsáveis precisam seguir as medidas de prevenção. 

— Para isso, os lojistas adotarão o mesmo protocolo adotado em supermercados, com controle rígido de número de pessoas no espaço e exigência de máscaras para ter acesso ao interior do local. Os shows que aconteciam no local nos fins de semana continuam suspensos — informou a Prefeitura. 

Durante o encontro, os membros do comitê também deliberaram sobre as demandas daqueles que tentam obter a licença para dirigir.

— Também devem ser liberadas as atividades das autoescolas e das clínicas médicas que atendem candidatos em busca da carteira de motorista — informou.

O Executivo ainda esclareceu que todo o processo e as orientações para funcionamento serão publicados em decreto, ainda sem data.

— Porém a autorização para o funcionamento em todos os casos só será dada após uma vistoria de técnicos da Vigilância em Saúde, que definirão critérios específicos para cada um desses locais. Todas as deliberações devem ser oficializadas através de um decreto municipal — finalizou, em nota. 

Dados

Divinópolis contava, até ontem, com 1.881 notificação de casos suspeitos de coronavírus. Desses, 330 foram testados: 137 positivos, 184 negativos e nove em análise. Das confirmações, aponta o boletim, 107 (78,10%) se recuperaram. São considerados livres da doença os pacientes que receberam alta hospitalar ou cumpriram os 14 dias de isolamento domiciliar.

As Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da cidade contam com 15 internados. A ocupação dos leitos está em 49,2%. Conforme já havia informado o Executivo, o comércio fechará automaticamente caso o índice marque 70%.

Nenhuma nova morte foi registrada.

Queda e ascensão

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) divulgou no início da semana mais um relatório epidemiológico. Segundo os registros, a maior média de casos confirmados por semana foi encontrada entre os dias 19 e 25 de abril, com 24. Os números caíram, na semana seguinte, para 22 e 18. No entanto, o indicador subiu para 19 entre 10 e 16 de maio.

— A média da última semana, média dos dias, de pacientes suspeitos de covid-19 internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) nos hospitais de Divinópolis marcou 12,1, e em setores abertos, 23 pessoas. O cálculo foi baseado nos dados fornecidos pelos hospitais Santa Lúcia, Santa Mônica, São João de Deus, São Judas Tadeu e UPA Padre Roberto — destacou a Prefeitura.

Hidroxicloroquina 

A Secretaria de Saúde se pronunciou ontem sobre a divulgação, por parte do Ministério da Saúde, da orientação para uso da hidroxicloroquina  no tratamento precoce do casos leves da coronavírus. 

— A medicação é derivada da cloroquina, droga utilizada para combater a malária que não teve eficácia comprovada contra a covid-19 — explicou.

O órgão destacou que as informações sobre o acesso ao medicamento ainda não foi esclarecido.

— Apesar da recomendação, ainda não foi publicada portaria sobre a forma de acesso, se haverá disponibilização pela farmácia básica ou especializada e os documentos que serão exigidos. O serviço de farmácia ainda não recebeu norma, legislação nem orientação sobre a disponibilização do medicamento no SUS — pontuou.

Sobre o assunto, a gerente de Assistência Farmacêutica da secretaria, Ariane Garrocho, afirmou que a utilização da hidroxicloroquina é apenas uma possibilidade. 

— Ainda não sabemos se realmente teremos acesso a esse medicamento, visto que o Ministério orientou, porém, não nos forneceu o suporte necessário — concluiu.

Ajuda

Dando continuidade às ações de prevenção ao coronavírus, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis entregou ontem 500 capotes à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Os equipamentos servem para uso de profissionais em procedimento médicos.

Segundo o presidente da CDL, Luiz Angelo, essa atitude, somada às doações de máscaras realizadas pela entidade e às ações de conscientização do comércio e população, contribuem com a saúde de Divinópolis “neste momento tão delicado”.

O Equipamento de Proteção Individual (EPI) serve como um avental cirúrgico, que evita o contato de fluidos corporais ou agentes químicos causadores de doenças.

— E, em tempos de pandemia, o equipe auxilia na proteção da saúde de médicos, enfermeiros e equipes de atendimento, ou seja, profissionais que estão na linha de frente no enfrentamento à covid-19 — explicou a prefeitura.

Segundo o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, com a doação, a pasta pode utilizar a verba que seria destinada a essa finalidade para compra de outros equipamentos.

— Ficamos extremamente gratos com essa doação e poderemos reverter o que seria gasto em outras ferramentas e materiais essenciais para a saúde — comentou.

Máscaras

Desde o início da semana, conforme decreto publicado pela Prefeitura, é obrigatório o uso de máscaras ao transitar pela cidade, tanto em ambientes públicos quanto privados. O Executivo voltou a reforçar a importância da ação para evitar, com a retomada parcial do comércio, o agravamento do cenário na cidade.

O objetivo é minimizar o risco de transmissão comunitária, garantindo a segurança de saúde pela vida. Aqueles que desobedecerem às normas estarão sujeitos à aplicação de multa, no valor de uma Unidade Padrão Fiscal do Município de Divinópolis (UPFMF), de R$ 79,95.

O secretário de Saúde voltou a reforçar que o isolamento social ainda é a melhor medida de prevenção ao vírus.

— O poder público age todos os dias no combate ao vírus, mas a população precisa fazer sua parte saindo de casa apenas como necessário e, caso saia, que se adeque às normas sanitárias para evitar o contágio — conclui.

Comentários
×