Comissão debate destino de resíduos sólidos da confecção

Da Redação

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Divinópolis convocou uma reunião para a próxima segunda-feira, 30, às 13h00, no Centro Administrativo de Divinópolis, para debater políticas de destinação e reciclagem dos resíduos sólidos da indústria têxtil e de confecção.  Atualmente, é considerado resíduo sólido têxtil todo material derivado das sobras da produção, que não possui utilidade após determinado processo e que, geralmente, é descartado. Podem ser citados como exemplos os retalhos de tecidos, as sobras de aviamentos, os cones de linhas, os plásticos e os papéis em geral.

De acordo com o presidente do colegiado, vereador Renato Ferreira (PSDB), a indústria têxtil, que tanto gera renda e emprego em Divinópolis, também produz toneladas de resíduos que, infelizmente, não tem sido reaproveitados de forma adequada.

— Precisamos nos unir e estabelecer políticas e práticas que possam minimizar os impactos ambientais e, ao mesmo tempo, garantir maior valor e sustentabilidade para essa fundamental engrenagem da nossa economia. Nos últimos meses, as indústria tem tido entraves no descarte adequado dos resíduos e nos queremos resolver isso o quanto antes — afirmou Renato.

O vereador ainda citou que, para a reunião, foram convidados diretores do Sindicato da Indústria do Vestuário de Divinópolis (Sinvesd), vereadores, lideranças empresariais, Procuradoria do Meio Ambiente e Prefeitura Municipal por meio das secretaria municipais especializadas, como a de Meio Ambiente e Operações Urbanas. 

História

A Indústria Têxtil existe há aproximadamente 200 anos no país e está entre os setores que mais empregam. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), o Brasil tem o quarto maior parque produtivo de confecção do mundo e quinto maior produtor têxtil. Divinópolis ocupa lugar de destaque nesse cenário econômico, tendo sua produção com início na década de 1970. 

Comentários
×