Comércio reabre a partir da próxima segunda; flexibilização contrasta com alto número de infectados na cidade

Paulo Vitor Souza

Atualização: 18h40, 24 de abril

 

Reunião realizada ontem decidiu flexibilizar as medidas de controle da pandemia do novo coronavírus. Em encontro entre secretários e o Comitê Municipal de Contenção do Surto, o prefeito Galileu Machado (MDB) chegou a conclusão de reabrir parte do comércio e de alguns serviços a partir da próxima segunda-feira, 27. Segundo a Administração,, a decisão embasou-se no documento epidemiológico do sub-Comitê Técnico de Saúde que mapeia a evolução dos casos de Covid-19 na cidade.

A Prefeitura vinha sendo pressionada por parte de empresários da cidade. Carreatas foram realizadas na tentativa de mostrar ao prefeito o descontentamento da classe empresarial com as medidas que mantinham fechados os estabelecimentos e serviços que não integram a lista de atividades essenciais.

A decisão de reabrir o comércio  era esperada há alguns dias. Na semana passada, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rafael Nogueira, já havia informado a existência de estudo preliminar para possível afrouxamento de medidas.

Segundo o chefe do Executivo,, o afrouxamento das medidas relativas ao comércio foi para manter a situação municipal dentro de controle. Galileu Machado (MDB) apontou o isolamento adotado pelo Município como fator que possibilitou a volta às atividades.

—  Ninguém, em sã consciência, quer penalizar ninguém ou nenhuma categoria. Para alguém ligado a um determinado segmento, é fácil cobrar uma atitude unilateral. Mas, o gestor tem que ter a visão macro da cidade. E só agora foi possível essa possibilidade - disse o prefeito.

 

Funcionamento escalonado

 

O modelo de revezamento foi adotado também em Itaúna. Na prática, a Prefeitura fará um agendamento demarcando qual serviço ou comércio pode funcionar a cada dia. A administração, no entanto, prometeu rigor na fiscalização.

— O bom trabalho feito desde o início da pandemia, nos permite, agora, essa condição, mas com as com as condições estabelecidas, afinal a ameaça é real. Por isso, já antecipo que teremos uma fiscalização intensa e o descumprimento das regras será penalizado exemplarmente - prometeu Galileu Machado.

De acordo com o protocolo de flexibilização, parte do comércio e serviços poderá funcionar nas segundas, quartas e sextas, enquanto o restante nas terças, quintas e sábados. O horário de funcionamento será de 09 às 17 horas. A Prefeitura vai divulgar hoje a relação completa das modalidades contempladas pelo protocolo de flexibilização.

 

 Incidência de contágio 

 

O afrouxamento das medidas na cidade contrasta com a performance municipal em relação à incidência de casos da Covid-19. O Município, de acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), tem hoje 30,22 infectados  a cada 100.000.00 (cem mil) habitantes, superior à média nacional e muito acima da estadual que está em 6,68 contaminados a cada cem mil habitantes.

Apesar de a cidade performar mal na proporção do contágio, segundo o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico este fator não seria o determinante para a tomada de decisão em relação à flexibilização. Rafael Nogueira havia apontado o nível de ocupação de leitos como o principal termômetro para a reabertura ou não comércio.

 

Índice municipal

A cidade demonstra aumento no número de notificações do Covid-19. Nesta tarde, 24,  a Semusa informou que o Município tem 72 casos positivos para infecção, e totaliza 1.371 notificações, entre casos suspeitos, descartados e confirmados. 692 pessoas foram atendidas em unidades de saúde e se encontram em isolamento domiciliar. Sobre internações, a cidade tem 12 pessoas internadas no setor de enfermaria e outras 15 no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Informações desta sexta-feira, 24.

 

Flexibilização Brasil a fora 

 

Ao menos 10 (dez) estados já começam a afrouxar as medidas restritivas de contenção da pandemia do coronavírus. São eles: Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Maranhão, Distrito Federal, Tocantins, Espírito Santo, Paraíba e Sergipe. Depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) reafirmou a autonomia de estados e municípios na tomada de decisões referentes à endemia e comprovada a eficácia do isolamento, o questionamento maior é sobre o momento correto de diminuir o rigor das medidas restritivas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) listou critérios a serem observados pelos governantes pelo mundo. Segundo a OMS, dentre os parâmetros, o controle de contágio é o principal fator a ser considerado. Em Divinópolis, hoje, são 72 casos confirmados da doença, além de mais de mil casos suspeitos. Do dia 13 deste mês, quando a cidade registrava 29 casos, até esta quinta-feira, 23, o aumento foi de 141,37% no número de infectados.

 O segundo critério é a capacidade de detecção, testagem, isolamento e tratamento de pessoas com a doença. O município, assim como as cidades país afora, não dispõe de testes para examinar ao menos os pacientes que apresentam sintomas. Apenas as situações mais graves são checadas. Com a falta de testes, existe a dificuldade de mapear o vírus e as pessoas assintomáticas, que são vetores da doença. 

Outro parâmetro é sobre as instalações hospitalares. Neste quesito, o prefeito Galileu Machado se adiantou na abertura de uma base hospitalar de campanha para mitigar o impacto que a doença pode trazer ao sistema municipal de saúde. O manejo correto de novos casos também é uma preocupação da OMS, já que o trânsito de pessoas entre cidades e estados pode ocasionar aumento da propagação do vírus, acentuada pela falta de testes em massa. Para além destes critérios, a entidade internacional também aponta a informação como elemento essencial no enfrentamento à pandemia. 

 

Ciência

 

A pouca informação acerca do vírus é um dos dificultadores para o enfrentamento da doença atualmente. Um estudo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel - Rio Grande do Sul) vai testar 100.00.00 (cem mil pessoas) a partir desta semana até o mês de junho. O intuito é, a partir de amostragem, calcular o índice de contágio do vírus, o que é inédito no Brasil. Estudos como este foram realizados em países como Alemanha, Itália, Estados Unidos e Áustria, mas não na mesma proporção da pesquisa brasileira. 

O levantamento da UFPEL se dará em três etapas, sendo que em cada um delas, 33.250 pessoas serão testadas em 133 cidades pelo Brasil. Serão dois testes aplicados: o IgM, que detecta infecção recente, e o IgG, que aponta se a pessoa foi infectada pelo vírus num espaço de tempo maior. O Governo Federal irá injetar R$ 12 milhões  no projeto.

A testagem feita pelo estudo dará mais luz às medidas de distanciamento social adotadas pelos estados, isso porque a pesquisa poderá mostrar o grau de subnotificação do país e a real taxa de letalidade. Os testes irão abranger municípios de todas as regiões do país. Por causa do alto número de pessoas a serem testadas, este já é o maior estudo sobre o novo coronavírus no mundo.

Comentários
×