Comércio já se prepara para o carnaval

Jorge Guimarães

Faltando menos de um mês para o carnaval, o comércio da cidade, e em especial as lojas de supermercados, já estão com seus estoques e promoções preparados para começar o próximo mês em ritmo de festa e posteriormente a Semana Santa. Mas, o que chama atenção nas lojas dos supermercados é que os pescados já estão em lugar de destaque.

— A colocação dos produtos já é para o consumidor ir entrando no clima. E, no caso dos pescados, a saída deles também é muito boa nesta época, o que incrementa um maior mix de produtos relativos aos pratos. Assim, a azeitona, ovos, azeites, legumes e verduras começam a ganhar mais espaço a partir de agora. Isso aliado a algumas espécies de peixes, que já estão com preços em promoção para estimular as vendas. E, em meados de fevereiro, entramos de vez nas promoções de bebidas e carnes, em geral, para que não falte nada para consumidor curtir seu carnaval — analisou o gerente de uma loja, Sérgio Antonio.

Preços

Ontem, em uma loja de supermercados um dos peixes mais tradicionais, a sardinha, estava sendo comercializada, o pacote de 800 gramas, a R$ 5,99. O filé de tilápia, em embalagem de 400 gramas, por R$ 13,98 e o de merluza, 500 gramas, a R$ 12,98. Já o filé de piramutaba saía a R$ 15,79, enquanto a posta do dourado, embalagem de 600 gramas, estava sendo comercializada a R$ 12,98. O quilo do tradicional peroa estava a R$ 12,39. E, para acompanhar aquele peixe frito ou mesmo uma peixada, é possível encontrar azeites importados, extra virgem, a partir de R$ 16,79.       

— Todo carnaval a gente aluga um sítio ou vai para a praia. Este ano resolvermos passar o carnaval por aqui mesmo e alugamos um sítio na comunidade dos Lopes. Já estou fazendo a tradicional pesquisa de preços. Vai a família inteira e a conta vai ser dividida, assim não fica muito caro para cada pessoa. Estou olhando os peixes e vou levar a ideia ao restante para ver se ele entra no cardápio. Mas devo comprar mesmo é a partir da segunda quinzena de fevereiro, por enquanto é pesquisa e cardápio — disse o estudante de direito André Vasconcelos.

Comentários
×