Comércio já está de olho no 13º salário

Jorge Guimarães  

O ano está chegando ao fim e, com ele, se aproxima um dos momentos mais aguardados pelos trabalhadores; o dia de receber o 13º salário. E quem está de olho neste dinheiro extra é o comércio que se animou para lançar promoções a fim de chamar o consumidor para as compras, além das promoções da Black Friday.  

É que a 1ª parcela do 13º salário deve ser paga entre fevereiro e o último dia útil do mês de novembro. É comum dizer que o pagamento deve ser feito até o dia 30 deste mês. Já a 2ª parcela deve ser paga, impreterivelmente, até o dia 20 de dezembro. 

Mas, os lojistas não estão somente ansiosos por possíveis vendas, pois muitos que irão quitar suas dívidas o farão diretamente com o comércio. E com a recuperação, ainda que lenta, da economia os empresários estão ainda mais confiantes nas vendas de final de ano.  

Números 

A expectativa de boas vendas no final do ano vem da notícia de que o mercado de trabalho brasileiro movimentou R$ 188,1 bilhões em salários no terceiro trimestre do ano. O resultado representa quase R$ 7 bilhões a mais em circulação na economia no período de um ano, impulsionando a expectativa de venda para o próximo Natal. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta terça – feira, 31, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Melhor aplicação  

Mas, a alegria dos comerciantes pode ser a tristeza futura dos consumidores que não souberem utilizar o dinheiro do 13º. Na opinião de especialistas, os mesmos têm que tomar cuidados com as compras impulsivas, pois a calmaria de agora pode se tornar uma tempestade econômica no futuro. 

Para o especialista em finanças Célio Tavares, a melhor aplicação deste dinheiro extra seria na quitação de divididas.  

— Para aqueles que estão endividados, esta é a melhor opção. Outra saída seria a velha poupança, pois é a mais indicada para menores valores. Mesmo aqueles que têm prestações a vencer, a melhor maneira é negociá—las com o credor que tem que tirar os juros embutidos, a chamada descapitalização, assim estaria ganhando um bom desconto, e fugindo das dívidas futuras — aconselha Célio Tavares. 

Consumidor 

Para muitos, a utilização da grana ainda é uma coisa a pensar. Têm pessoas fazendo planos para viajar, outras para economizar; assim, cada um vai decidindo como utilizar melhor o dinheiro. 

—Vou receber a primeira parcela, mas não é muita coisa, por isso, vou gastá-lo em família. A segunda, estou pensando em quitar dívidas — adiantou o mecânico Fabrício Souza.  

Mas há quem vai receber mais e já sonha alto. 

— Vou pagar algumas dívidas imediatas e com o restante, vou para praia, coisa que não faço há anos — falou o comerciário Ricardo Alves. 

 

Comentários
×