Comércio já em ritmo de Black Friday

Da farmácia à loja de chocolate; lojistas confiantes em boas vendas

Jorge Guimarães

No Brasil, a Black Friday começou em 2011, e, diferentemente dos EUA, onde começou no varejo, aqui teve início em lojas virtuais e acabou ganhando corpo com o varejo dos estabelecimentos físicos há cerca de três, quatro anos. E, a cada ano que passa, a data vem conquistando o consumidor. Em recente pesquisa, o Google mostra que, neste ano, mais de 50% dos consumidores vão olhar também as promoções de lojas físicas.

Com o sucesso, a data passou a ser bastante relevante para o comércio, pois, como o consumidor já aprendeu, a promoção gera expectativa e isso faz que seu potencial de resultado passe a ser mais relevante.

As previsões nas vendas on-line estão bem audaciosas, demonstrando um crescimento muito grande. Já nas lojas físicas nós não temos uma estimativa exata do que seria o crescimento. Mas, tendo como base algumas características que saíram na economia durante este ano, como a liberação do Fundo de garantia de Tempo de Serviço (FGTS), que contribuiu para dar uma recuperação interessante no comércio, a data também é próxima à liberação da segunda parcela do 13º. Há ainda uma característica de algumas pessoas anteciparem as compras de Natal, para aproveitar as liquidações que serão as últimas antes da maior data comemorativa para o varejo, o Natal — detalha o vice-presidente de ações institucionais da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Luiz Ângelo Gonçalves.

Adesão

Com a aceitação pública diante da nova data do varejo, os empresários estão mais confiantes quanto à nova realidade de se fazer comércio antes do Natal. Assim, muitos estabelecimentos estão anunciando descontos de até 60%. E tem loja de calçados tradicional na cidade que, além do desconto real de 60%, comprando com cartão da rede durante os meses de novembro e dezembro, o consumidor concorre a uma casa ou carro e mais R$ 1 mil todos os dias.

Assim sendo, a adesão do comércio deve ser maior que dos anos anteriores, bem como a dos consumidores. A CDL de Divinópolis fez um evento para falar exclusivamente de vendas de fim de ano e Black Friday, isso para fazer a capacitação dos lojistas e vendedores em relação a técnicas de vendas e como eles podem aproveitar essa data. Então, as perspectivas sobre as vendas são positivas — finalizou o vice-presidente.

Black Friday

O comércio já está preparado para receber o grande público que deve lotar as principais ruas do Centro. Para muitos empresários, a data já se estende por toda essa semana, a chamada Black Week, que terá o seu ápice na sexta, 29.

Pelas ruas centrais, pelo visto, somente bares e restaurantes não aderiram, ainda, ao dia de liquidação e descontos. Os demais estabelecimentos, desde farmácias a agências de viagens, passando por lojas de chocolates, todas estão com vitrines e placas de promoções.

Horários

E cada um, dentro de uma estratégia de vendas, terá seu horário de abertura definido. Uma loja de eletrodomésticos, por exemplo, vai estar aberta a partir das 6h na sexta, mesmo horário de uma tradicional loja de roupas. Já outra líder de mercado varejista, em âmbito nacional, vai abrir suas portas a partir das 7h, assim como uma rede de supermercados da cidade.

Como nos últimos anos, já fiz minha pesquisa para verificar se os preços estão mesmo com descontos. Não caio mais nessa de “Black Fake”. Já sei aonde ir para adiantar de vez os presentes do Natal — fala a dona de casa Keila Oliveira.

Comentários
×