Comércio espera faturar com Pré-Carnaval

Jorge Guimarães

Faltando pouco mais de uma semana para o Pré-Carnaval, o comércio, principalmente de alimentação e bebidas na região da rua Pitangui, novo local da realização da festa, espera faturar mais já a partir deste fim de semana. Já é grande a movimentação das casas de shows que estarão com apresentações diversificadas para atender a todos os gostos. Mas não somente elas, também as pizzarias, barzinhos e até os trailers dos mais diversos produtos.  Depois do sucesso das edições anteriores, a Prefeitura, que neste ano tomou frente da organização, espera um público de 40 a 50 mil pessoas no próximo dia 15. A previsão de início é às 10h30 e término por volta das 21h15.

Comércio  

Com o sucesso de edições anteriores, a festa momesca tem atraído um grande número de pessoas de cidades próximas, e até da capital, Belo Horizonte. Movimentação que faz girar boa parte do comércio como hotéis, restaurantes, prestadores de serviços, shoppings e salão de beleza.

Opções

Entre os estabelecimentos que podem faturar, os supermercados levam vantagem por ter maior mix de produtos para servir aos consumidores e empresários do ramo de prestação de serviços.  Os estoques de bebidas e carnes em supermercados da região do Bom Pastor, ontem, já estavam nas gôndolas à disposição dos consumidores.

Preços

Para os prestadores de serviços, um dos principais itens é o tradicional churrasquinho. São procurados, principalmente, por aqueles que fazem um esquenta particular com amigos ou mesmo entre os integrantes de blocos. Para quem vai comprar para vender ou consumir, os preços sofreram uma leve queda. Ontem, o coração de alcatra era vendido a R$ 29,90, a picanha saía a R$ 42,90, e outra ótima opção, a fraldinha, era comercializada a R$ 23,90. Já a chã de dentro era vendida a R$ 24,90 e a linguiça de churrasco custava a partir de R$ 11,90. Na parte dos suínos, o corte especial da alcatra saía a R$ 19,98. Para quem prefere carne de aves, o filé de peito de frango saía a partir de R$ 11,90. Outra opção bastante procurada são os pescados, como o filé de tilápia, que era vendido a R$ 11,98, mesmo preço da posta de piramutaba.

— Nossas vendas nesta ocasião sazonal crescem em média de 15 a 20%. Principalmente na área de bebidas como vodcas, ice e enérgicos, sem falar nas cervejas, quando a demanda cresce em torno de 18%. Já no açougue bate os 20%, Em anos anteriores, esta loja era a que recebia mais consumidores, como o evento mudou de local, agora é a nossa loja do Bom Pastor é que deverá ter um ótimo movimento — explica o gerente de um supermercado da cidade, Walter Wagner.

Mudança

Com a mudança da festa para a rua Pitangui, muitos comerciantes da área central vão deixar de faturar.

— Tenho comércio no Mercado Municipal e o movimento nos anos anteriores sempre superou as expectativas. Mas não significa que não vamos investir na casa. A música ao vivo continua normalmente a partir das 13h e os tira-gostos mais variados estarão prontos para os fregueses. Espero o público que não curte o carnaval — diz o empresário Paulo Roberto Gomes.

Comentários
×