Comércio domina contratações no Natal

167 vagas foram abertas na cidade em outubro, apontou o Ministério da Economia

Pablo Santos

O comércio divinopolitano está apostando nas vendas de fim de ano. A julgar pelo volume de vagas criadas no comércio local, a expectativa de crescimento é maior na comparação com os últimos quatro anos. Os números acompanham a tendência nacional.

Os lojistas iniciaram as contratações para as vendas natalinas. Neste período, foram criadas 167 oportunidades no comércio da cidade, conforme os números do Ministério da Economia.

Do total criado em outubro deste ano, 150 foram contratações para o comércio varejista e o restante para o atacadista.

Em outubro de 2018, no mesmo período, foram criadas 99 vagas com carteira assinada. Já em 2017, foram abertas em Divinópolis 46 oportunidades formais, ou seja, um volume bem menor. Em outubro de 2016, por sua vez, apenas 16 postos de trabalho foram criados. Em 2015, o comércio estava com expectativa melhor e 177 vagas foram abertas no comércio da cidade. Já em 2014, o número foi bem menor, com 51 oportunidades criadas em Divinópolis em outubro daquele ano, de acordo o Ministério da Economia.

Outubro

Entre quatro segmentos, o comércio é o setor com maior volume de contratações em outubro último no município. A indústria ficou com 90 oportunidades abertas, acompanhada dos serviços (51), construção civil (5) e agropecuária (-3).

Confederação

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que sejam contratados 91 mil trabalhadores temporários para atender ao aumento da demanda do varejo no período natalino neste ano, ou seja, 4% maior do que em 2018 e a maior oferta dos últimos seis anos. Os estados que devem gerar mais vagas são: São Paulo (22,6 mil), Minas Gerais (10 mil), Rio de Janeiro (9,4 mil) e Rio Grande do Sul (7,6 mil).

Já entre os setores do comércio, os maiores volumes de contratações deverão ocorrer nos ramos de vestuário (62,5 mil vagas) e de hiper e supermercados (12,8 mil). Oito em cada dez oportunidades ofertadas deverão ser preenchidas por vendedores (57 mil), operadores de caixa (13 mil) e pessoal de almoxarifado (4,6 mil).

A taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser maior do que nos últimos cinco anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%.

Comentários
×