Comemorar ou não o empate

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br 

 

No jogo de quarta-feira contra o Palmeiras, depois de abrir 3 a 0, o Cruzeiro voltou a cometer os mesmos erros defensivos de sempre, que estão comprometendo toda a temporada até aqui, e simplesmente entregou o ouro para o bandido. Foi a Raposa que deixou o Palmeiras chegar à igualdade em 3 gols. Esta é a verdade. O empate aconteceu mais por falhas dos mineiros que por méritos dos paulistas. Nada mais que isso. 

A questão agora é saber se a China Azul tem ou não motivos para comemorar o empate no Alianz Parque? Se formos olhar pelo resultado do jogo como um todo, com o Cruzeiro empatando na casa do adversário e ainda marcando três gols, pode sim festejar. Agora um empate até em 2 a 2 no jogo de volta classifica o time celeste. 

Mas, pelas circunstâncias da partida, nada há para ser festejado. Os buracos na defesa persistem e não há como se saber como será no futuro. Dedé e Manoel ainda demoram um tempo para voltar. Se tem algo que a torcida tem motivo para estar de saco cheio, isso é com a zaga azul. Com Leo e Kunty Caicedo vai ser difícil o torcedor sonhar mais alto. 

MANGUEIRAS BRASIL 

Fred está ficando marcado? 

Está aí uma perguntinha danada de difícil para qualquer um responder. Mas, analisando com frieza, esta sim parece ser uma verdade.  

Hoje, os árbitros dos jogos já não caem nas manhas do artilheiro. Está ficando mais difícil para ele “cavar” os manjados pênaltis. Os juízes estão também de olho nas faltas que o atacante sempre comete sobre os zagueiros, em muitas disputas de bola. Isso vem incomodando muito o moço de Teófilo Otoni. Ele perdeu uma de suas principais armas. 

A Fred cabe agora se reinventar e jogar apenas bola e não a torcida contra os árbitros. Futebol de sobra todos sabem que ele ainda tem. Se deixar a malandragem de lado e focar apenas no lado profissional, em “colocar a bola na casinha”, o que ele sabe fazer melhor que muitos outros, Fred ainda dará muitas vitórias ao Atlético. Isso também é uma verdade. 

Mas se não for assim, o artilheiro vai é acabar com a voz do presidente Daniel Nepomuceno, que em todo jogo terá que usar dos microfones das rádios e TVs para reclamar da arbitragem. 

Simples assim: se liga na real, Fred. Artilheiro você é, e um dos melhores do Brasil. Então jogue apenas bola.  

MANGUEIRAS BRASIL 

Guarani no caminho certo 

É sabido (e não é segredo para ninguém) que a única solução para o futuro do Guarani era voltar a apostar na base. Era tentar fazer, em casa, parte do elenco para futuras competições com o time profissional. Essa verdade está a caminho de se tornar uma gostosa realidade. 

É certo que o Bugre ainda engatinha em seu departamento de futebol amador e que muito ainda há a ser feito. Mas, pela coragem da atual diretoria de apostar na base, só há motivos para a torcida festejar o pouco que se conseguiu até aqui. O Bugre ainda não está na prateleira de cima, mas caminha para chegar lá. Se é com trabalho que se chega longe, o futuro do Guarani está mais do que garantido, porque pessoas dispostas a fazer o melhor, a trabalhar duro pelo clube, é o que não tem faltado pelas bandas do Porto Velho. 

Pelo que conseguiu até aqui, no pouco tempo que vem investindo nas categorias de base, as esperanças são as melhores possíveis. 

Buscando mais um título estadual 

Em sua segunda temporada disputando um torneio estadual – a Super Copa do Instituto Mineiro de Escolinhas de Futebol (Imef) – contra equipes de todo o estado, com suas categorias Sub-15 e Sub-17, o Guarani chegou às fases finais, em ambas as categorias, nos dois anos. E melhor que isso, o Bugre vai para sua segunda disputa de título com os garotos do Infantil. 

Campeões no ano passado, numa final contra o Paraense, quando venceram por 1 a 0, com gol de Vampeta, os garotos do Bugre vão em busca de mais uma taça de campeão. Na tarde de hoje, às 15h, na Arena Gregorão, em Contagem, na Grande BH, o Sub-15 do Guarani terá pela frente a equipe do Filhos do Vento, do ex-craque do Atlético, América, São Paulo e Seleção Brasileira – Euller, na grande final. 

São os garotos do Bugre indo com tudo para buscar o bicampeonato do Imef. A delegação viaja no final da manhã, por volta das 11h45 para Contagem, e já leva na bagagem toda a força de uma torcida que acredita sempre no melhor.   

Vamos que vamos, Bugre, na luta para reescrever nossa história. Com todos unidos num só propósito não haverá para ninguém. Vai dar Bugre na cabeça! Eu acredito, sempre! 

Comentários