Começa aplicação do reforço em profissionais da linha de frente

Cadastro contemplou quem já havia tomado a segunda dose há seis meses; internações continuam em queda

 

 

Bruno Bueno

Profissionais da linha de frente das instituições de saúde de Divinópolis começam a receber, hoje, a dose de reforço da vacina contra a covid-19. O cadastro para este grupo foi aberto na tarde de ontem. Podem se imunizar os profissionais que trabalham na linha de frente de hospitais, laboratórios e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), além de socorristas. É necessário que a pessoa tenha tomado a segunda dose há mais de seis meses (180 dias).

Conforme informações da Prefeitura, o público será vacinado no drive-thru do Centro Administrativo com o imunizante da Pfizer.

— No dia da vacinação, o trabalhador deve ter em mãos: documento de identidade com foto; carteira do SUS; cartão da unidade de Saúde, cartão de vacina, comprovante de endereço e documento que comprove vínculo de trabalho — pede o Executivo em nota divulgada.

 

Horário

Na mesma nota, o Executivo pediu que as pessoas respeitem o horário definido durante o cadastro para evitar filas.

 

— A Prefeitura solicita a todos que forem se vacinar que respeitem rigorosamente o horário marcado no comprovante de cadastro e tenha muita atenção ao local indicado no comprovante de cadastro. É fundamental o respeito a esses horários para que não haja filas e para que os idosos não fiquem expostos ao calor — ressalta.

A Prefeitura também solicita que as pessoas continuem levando alimentos não perecíveis para doar a famílias do município que passam necessidade. 

— Assim, aquelas pessoas que se dirigirem aos postos de vacinação por meio de drive thru, se sensibilizarem com a situação e quiserem fazer a doação de alimentos não perecíveis, estes serão remetidos para as famílias em vulnerabilidade por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) — enfatizou.

 

Queda

Com o andamento da vacinação, a Prefeitura informou que a média de pessoas internadas no município continua em queda desde a implementação da onda verde na cidade.

 — A semana epidemiológica entre os dias 1° a 7 de agosto, a primeira nesta fase, apresentou média de 94 pessoas internadas por covid-19 nos hospitais do município, sendo 46 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 48 em enfermaria. A última semana, entre 26 de setembro e 2 de outubro, indicou média de 63 pessoas hospitalizadas, sendo 25 em UTI e 38 internações no setor de enfermaria —  publicou a Prefeitura.

 

Ocupação 

Foram divulgados ainda os dados referentes à ocupação de leitos no município. Conforme o Executivo, a taxa de preenchimento das vagas na UTI é 30,59%, com 26 dos 85 leitos da cidade ocupados.  No setor de enfermaria, a taxa é de 27,82%, com 37 leitos ocupados entre os 133 totais.

 — A UPA Padre Roberto está com 30% dos leitos ocupados, com nove dos 30 leitos ocupados. Na enfermaria, a ocupação é de 56,25%, com 18 dos 32 leitos — informou. 

 A área atendida pelo SUS no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) está com quatro leitos ocupados entre os 12 leitos totais no CTI adulto, o que equivale a 33,33% ‒ na enfermaria, 13 dos 30 leitos, representando 43,33%.

 

Rede particular

Na saúde suplementar, o Hospital São Judas Tadeu atualmente opera com quatro leitos ocupados no CTI adulto, com 16,67%. O Santa Mônica conta com dois hospitalizados entre os cinco leitos totais da unidade, com 40% de ocupação.

Já a área suplementar do São João de Deus conta com 10% de ocupação no CTI adulto, com um leito ocupado entre os dez totais. O Santa Lúcia, por sua vez, está com 30% de ocupação, com três pessoas internadas em relação aos dez leitos totais.

 

Mortes

Mesmo com a queda nas internações e o andamento da vacinação, Divinópolis registrou mais três mortes em decorrência do coronavírus. 

A primeira foi de um homem de 79 anos, portador de diabetes e hipertensão. Ele morreu no dia 1º. Outro homem, de 84 anos, portador de doença cardiovascular crônica, doença hepática crônica e hipertensão, faleceu no último domingo, 3. Foi informado ainda o óbito de mais um homem. O idoso de 83  anos, que morreu ontem, era portador de doença cardiovascular crônica, renal crônica e diabetes.

 

Com os números, o município agora registra 636 mortes por covid-19.

 

Comentários
×