Combate à dengue será intensificado, diz secretário

 

Matheus Augusto

Com o início do período chuvoso, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) volta sua atenção para a dengue. Apenas neste ano, segundo dados da pasta, três mortes pela doença já foram confirmadas e outras três permanecem em análise. Para 2020, o secretário, Amarildo Sousa, conta com parcerias para intensificar o combate ao mosquito Aedes aegypti. E, ainda em dezembro, haverá uma ação especial dedicada ao Natal.

Dengue em números

Conforme os registros da Secretaria, Divinópolis teve, neste ano, 4.111 casos confirmados da doença.

— Desde 2016, a gente não tinha um índice tão alto de notificações de casos confirmados — relatou Amarildo.

O secretário contou ainda que, em 2019, os agentes de Saúde realizaram 448 mil visitas nos cerca de 120 mil imóveis existentes na cidade, ou seja, cada localidade foi visitada cerca de três vezes.

Parcerias

Para o próximo ano, Amarildo projeta intensificar o trabalho de combate à dengue através de parceiras. A primeira dela diz respeito à capacitação de corretores imobiliários para que, ao visitar um imóvel, eles consigam identificar focos da dengue e comunicar à secretaria.

— A gente firmou uma parceria com as imobiliárias, elas sempre foram parceiras na abertura dos imóveis quando nós recebemos a denúncia em imóveis que estão fechados. (...) nós vamos ser mais proativos, então a gente assina com elas um termo de cooperação, os agentes imobiliários serão treinados pela Secretaria de Saúde para que, nas visitas que os corretores fazem aos imóveis, eles possam identificar os focos de dengue e nos comunicar. Facilita nosso trabalho e é uma visita que eles já fazem mesmo — contou.

Segundo o líder da pasta, a partir de janeiro a Semusa inicia uma ação concentrada, que consiste na varredura dos bairros com os maiores índices de focos de dengue. Durante a atividade, deve ocorrer o fechamento de ruas, bem como o desvio do trânsito, para que os agentes possam percorrer os quarteirões em busca de criadouros da doença. Os primeiros bairros a serem contemplados são Centro e Sidil.

Para a ação, a Semusa firmou uma parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis. A intenção é garantir que os responsáveis pelas lojas estejam preparados para a visita dos agentes de saúde e autorizem a entrada.

— Fizemos uma parceria com a CDL porque o Centro da cidade é a área de maior incidência de focos. E como é uma área extremamente comercial, achamos, por bem, chamar a CDL, para que ela nos ajude na ação que pretendemos fazer em 2020, que será de varredura concentrada dos focos de dengue. A gente começa na área comercial do Centro de Divinópolis, e os lojistas já estarão todos sabendo da ação, o que facilita para nossos agentes fazerem seu trabalho — explicou Amarildo.

Natal

Para o fim de ano, a Semusa prepara um carro com decorações natalinas. A intenção é chamar a atenção da população para, posteriormente, os agentes distribuírem o material de orientação sobre como evitar a proliferação do mosquito da dengue.

— Através da nossa equipe de educação, vamos fazer o carro do “Natal contra a Dengue”, que será um carro de Papai Noel para chamar a atenção. Visitaremos os locais de maior concentração de pessoas nessa época, que são os shoppings, as praças, para que eles [agentes de saúde] façam a panfletagem e as orientações necessárias contra a dengue. Começa semana que vem e se estende até o Natal — detalhou.

Novidade

Para somar às tradicionais ações, como os mutirões de limpeza – realizados 49 vezes neste ano –, a Secretaria Municipal de Saúde dará início, em 2020, à vistoria de prédios.

— Fazer essas vistorias nos prédios é inédito. A gente começa agora com quatro e cinco prédios para termos uma amostragem. O Ministério da Saúde tem uma diretriz de que seja feita a vistoria no nível de rua e nas caixas d’águas. Mas aqui nós estamos reforçando essa ação fazendo a varredura de todos os apartamentos dos prédios para que a gente consiga ver se o mosquito está dentro desses locais — revelou o secretário.

Objetivo

Em razão do alto número de casos confirmados e mortes de dengue registrados neste ano, para 2020 o secretário  promete intensificar a abordagem para que os números deste ano não se repitam.

— Em 2020, vamos fazer este trabalho mais proativo, inclusive temos o apoio da Secretaria de [Trânsito, Transportes e] Segurança Pública [Settrans], porque a dengue tomou um caráter que extrapola o âmbito da Saúde; ela também tem uma interface com o meio ambiente, com as condições sociais das pessoas. Os imóveis que estão resistentes, onde o proprietário está resistente para que os nossos agentes façam seu trabalho, a gente vai entrar com o mandado de segurança. Semana que vem dois imóveis terão a vistoria sob o mandado de segurança porque nós precisamos pensar na coletividade. Claro que a gente preserva o indivíduo, mas a sociedade não pode adoecer porque uma pessoa é resistente a um trabalho desses — expressou Amarildo.

Por fim, o secretário ainda afirmou que as parceiras e a visita aos prédios fazem parte do processo de garantir o bem-estar dos cidadãos e evitar a proliferação do Aedes aegypti.

— Pretendemos fazer essa concentração de ações e chamar a atenção da população, uma vez que o maior índice de focos está dentro das residências, então nós precisamos ter uma abordagem mais ostensiva. A secretaria continua com os mutirões nos fins de semana, como sempre fez, seus trabalhos de educação, mas a gente precisa, realmente, fazer alguma coisa diferente para que tenhamos um resultado diferente — projetou.

Recomendações

O supervisor-geral no Controle de Endemias, Francis Jhonatan Salviano Sousa, relatou que os agentes têm encontrado resistência dos moradores para entrar nas propriedades.

— A população tem dificultado o acesso do agente no momento da visita. Ressaltamos que é uma visita de, no máximo, entre dez e 15 minutos, de extrema importância para a comunidade — contou.

Para Francis, os cidadãos podem contribuir no combate ao mosquito através da checagem constante de possíveis criadouros.

— No LIRAa [Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti], o maior índice apresentado foi nos ralos, aqueles depósitos fixos, que estão dentro das residências. Se o morador tirar dez minutinhos por semana para verificar todos os locais que podem acumular água e eliminar esses criadouros já ajuda no combate — concluiu o coordenador. 

Comentários
×