Com 256 jovens de Divinópolis, espetáculo lota teatro em duas sessões

Da Redação

O espetáculo "O Reizinho Mandão", do projeto cultural Fazendo Arte, foi aclamado pelo público durante as duas sessões no Teatro Gravatá. Pais, ex-alunos e autoridades lotaram as dependências do espaço e prestigiaram a apresentação baseada em um texto da escritora Ruth Rocha e com adaptação da diretora artística do projeto, Lene Pereira.

O Fazendo Arte construiu uma apresentação com 1h20 de duração e que envolveu 256 jovens das oficinas de teatro, musicalização e danças. Lene Pereira destaca que a peça retrata um jovem príncipe mal educado, mimado e imaturo que passou a cuidar do reino como bem queria, criando leis malucas e maltratando a todas as pessoas.

— Apesar do pouquíssimo tempo para montar e ensaiar “O Reizinho Mandão”, conseguimos superar todas as dificuldades e mostrar um belíssimo espetáculo. Acredito que foi um dos melhores apresentados nestes 15 anos do Fazendo Arte. Foi um espetáculo divertido, porém com uma crítica social muito atual — afirma.

A professora Lilian Coimbra prestigiou o evento elogia o empenho da equipe.

— Aplausos de pé por todo o trabalho. Gratidão pelo que faz a estes jovens do projeto. Nossa cidade agradece. Parabéns a toda a competente equipe — diz.

A coordenadora Lenir de Castro lembra do empenho dos jovens.

— Foi um grande sucesso o espetáculo, com superação dos alunos e da produção. Percebemos que as famílias estavam felizes e orgulhosas dos jovens artistas. Outro ponto positivo é a autoestima dos alunos, que está lá cima, e o resultado fica maravilhoso porque os jovens são capazes. Se não fosse o projeto, talvez não tivessem essa oportunidade de participar de um espetáculo como esse — ressalta.

Projeto

O Fazendo Arte está presente em dez escolas e três núcleos, com 1,5 mil jovens envolvidos. Em 15 anos de atuação, foram 20 mil atendidos nas oficinas.

O Fazendo Arte é patrocinado pela Gerdau por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. A gestão é da Associação Cultural de Educação Social e Artística (Acesa), com apoio da Prefeitura de Divinópolis, por meio das secretarias municipais de Cultura e de Educação. O Centro Diocesano de Divinópolis também apoia o projeto.

Comentários
×