Coluna Elmo Fernandes - LÍNGUA PORTUGUESA (19/09)

ORIGEM DA EXPRESSÃO PÃO DURO
Usada para caracterizar alguém muito sovina, a expressão “pão duro” surgiu a partir de uma peça de teatro de Amaral Gurgel, a qual era baseada em um suposto mendigo que teria vivido no Rio de Janeiro por volta do início do século XX. A história conta que ele sempre abordava as pessoas pedindo qualquer coisa que elas pudessem dar, nem que fosse “um pedaço de pão duro”. Porém, quando o sujeito morreu, foi descoberto que ele possuía uma quantidade respeitável de bens, incluindo contas em bancos e imóveis.

 

CURIOSIDADES
A ORIGEM DO APLAUSO

O aplauso existe há cerca de 3mil anos. No princípio, era um gesto religioso, popularizado em rituais pagãos: o barulho devia chamar a atenção dos deuses. No teatro clássico grego, era forma pela qual os artistas pediam à plateia que invocasse os espíritos protetores das artes. O costume chegou à Roma pré-cristã, onde se tornou comum nos discursos populares.

 

PAGAMENTO? SÓ DEPOIS QUE MELHORAR...

Na China antiga, os médicos só eram pagos depois que os pacientes se recuperavam. Quando um dos pacientes morria, colocava-se uma lanterna na porta da casa do médico. A cada morte de paciente, uma nova lanterna era acrescentada.

OLHA AÍ Dr. ANTÔNIO DE PÁDUA (DIPA), DR. RODRIGO (EX-VIZINHO DA RUA SÃO PAULO, 478)!!


REFLEXÃO BÍBLICA
“Ó, minha alma, espera somente em Deus, porque dele vem a minha esperança. Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa; não serei abalado. Em Deus está a minha salvação e a minha glória; a rocha da minha fortaleza e o meu refúgio estão em Deus.”(Salmos 62:5-7)

REFLEXÃO DA SEMANA
Viver é correr riscos
Rir é correr o risco de parecer tolo.
Chorar é correr o risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar quem você é de verdade.
Defender seus sonhos, ideias é correr o risco de perder amigos.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos, pois, dentre todas as coisas,
 a mais arriscada é simplesmente não arriscar nada.

Nota do colunista: já dizia um amigo meu: “A maior tristeza na velhice é ver um passado vazio”.

RIA... POR FAVOR!!!

Meu corpo diz: piscina;
minha mente diz: praia;
meu chuveiro diz: chuveiro gelado.

MÁXIMAS DO PROFESSOR CARLINHOS

  • SINCERIDADE:

— Amorzinho... Vamos festejar amanhã nossas BODAS DE PRETRA. Quer que eu mate um franguinho caipira daqueles?
O marido:
— Que culpa tem o frango, mulher?

  • TRISTEZA… (TESE ECONÔMICA)

Quando o salário chega... Já não chega!

  • Duas loirinhas conversavam:

— Amo o Betinho de paixão, mas ele não me corresponde.

A outra ensina, na bucha:

— Reclama com o carteiro, boba!

 

OS LIVROS DAS MÁXIMAS DO PROFESSOR CARLINHOS SÃO ENCONTRADOS COM O PRÓPRIO AUTOR PELO TELEFONE (37) 3222-0627.

Comentários
×