Coluna Braga 27-05-21

Marco Aurélio Braga

Pedras de seu feijão

 

A jovem publicitária divinopolitana Mari Zumbach, que reside em Belo Horizonte há alguns anos, estreou no mercado literário nesta semana com o lançamento do livro de poemas “Pedras de seu feijão”. Talento a família tem de sobra ‒ a autora é neta da saudosa Maria da Conceição Espíndola, umas das mais belas vozes que tivemos por aqui. Mari é filha de Eanes Zumbach e de Ângela Espíndola, aprendeu a ler precocemente, aos três anos, e sempre foi amante da leitura. Para ela: “uma poesia é como aquela pedra que a gente morde sem querer, achando que é feijão. É na pedra que se talha o verso e, sem o desconcerto, a escrita fica torta, frágil, crua”. No livro, ela apresenta algumas "pedras de seu feijão", em distintos formatos e estilos literários e sem muito compromisso com a realidade e cronologia das coisas. Mais do que uma antologia de toda sua vida aos trinta anos de idade, a obra também é uma homenagem a grandes nomes que marcaram sua carreira literária, como João Cabral de Melo Neto, Paulo Leminski, Adélia Prado, Carlos Drummond de Andrade, entre outros. O livro pode ser adquirido por meio do link https://www.amazon.com.br/dp/6558510251?tag=metrica06-20&linkCode=ogi&th=1&psc=1

 

Doação

 

A AB Nascentes das Gerais repassou nesta semana, à Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), unidade de Divinópolis, equipamentos e materiais que serão utilizados nos trabalhos acadêmicos de taxidermização de animais. A doação de freezer vertical, lupas articuladas, bisturis, luvas de procedimento e jalecos foi alinhada com a instituição de ensino com o intuito de contribuir para a geração de conhecimento científico por meio de pesquisas desenvolvidas pela comunidade acadêmica, com animais que vieram a óbito na rodovia. Taxidermia é o nome técnico para o que é conhecido popularmente como empalhamento. Essa técnica é um sofisticado processo no qual só a pele do animal é aproveitada para montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo. É a metodologia de preservação da forma da pele, planos e tamanho dos animais.

 

Comitê Científico

 

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), em conjunto com a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), retomou as atividades do Comitê Científico, que seleciona medicamentos essenciais a serem utilizados na rede municipal de saúde. O Comitê, que estava suspenso há mais de um ano devido à pandemia, retornou ontem às suas atividades, tendo como finalidade selecionar e acompanhar a gestão e utilização dos medicamentos essenciais, estando muito ligado à educação e promoção do uso racional de remédios. A equipe multidisciplinar é formada por médicos, farmacêuticos, dentistas, enfermeiros e outros profissionais da área, contando com o suporte imprescindível da UFSJ, que se tornou uma grande parceira da Prefeitura na realização de projetos na área da saúde. O Comitê Científico, que teve sua 614ª reunião realizada, passará a ter encontros quinzenais, para debater assuntos relacionados aos medicamentos que estão sendo mais procurados pela população nos postos de saúde do município.

Esgotamento sanitário

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, visitou as obras de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) conjugado com ações de drenagem e pavimentação, aqui em Divinópolis. Nove bairros, com cerca de 3,6 mil famílias, serão atendidos: Candidés, São Simão, Grajaú, Maria Peçanha, Terra Azul, Costa Azul, Quinta das Palmeiras, Nova Fortaleza e São Cristóvão. O novo sistema permitirá aumentar o atendimento com esgotamento sanitário e reduzir alagamentos na região. O empreendimento conta com R$ 35,4 milhões de financiamento por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), além da contrapartida de R$ 2,2 milhões do Município. O empreendimento, que estava paralisado desde 2014 e foi retomado em fevereiro deste ano, está com 64,4% de execução e alguns trechos já possuem funcionalidade. O sistema completo é formado por 44.850 metros de rede coletora de esgoto, 2.014 ligações domiciliares, 17.276 metros de interceptores, três estações elevatórias de esgoto, 25.327 metros de rede de drenagem e 34.202 metros quadrados de pavimentação.

 

Doutorado

 

O professor do Cefet Divinópolis Denis Fortunato Fraga teve seu trabalho selecionado como a Melhor Tese de 2020 do programa em Tecnologia Ambiental da Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). Com o tema “O Zero Waste frente à pragmática do consumo no setor de corte da confecção do vestuário: a falácia do aproveitamento na modelagem com foco na redução do resíduo” ele também vai participar do Prêmio Capes de Tese e Grande Prêmio Capes de Tese. Para a seleção da pesquisa, a comissão julgadora do programa em Tecnologia Ambiental da Unaerp avaliou a originalidade da pesquisa e seu impacto, além de parte da pesquisa ter sido realizada com a coorientação do professor doutor Miguel Carvalho, do Departamento de Engenharia Têxtil e investigador do 2C2T – Centro de Ciência e Tecnologia Têxtil da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (UM), em Portugal, em um estágio científico avançado de doutoramento, o que teve grande relevância e peso na seleção.

 

Comentários
×