Coluna Batendo Bola (29/10/2019)

O anjo das pernas tortas

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

O anjo das pernas tortas

Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha ou simplesmente Garrincha, completaria ontem 86 de idade. O terror das defesas adversárias faleceu em 20 de janeiro de 1983, aos 43 anos, vítima do alcoolismo, mal que abreviou sua trajetória no mundo do futebol.

Origem humilde

De origem humilde, com quinze irmãos na família, Manuel dos Santos era natural de Pau Grande, um distrito de Magé, no estado do Rio de Janeiro. Sua irmã o teria apelidado de Garrincha, fazendo uma associação com o pássaro de mesmo nome, muito comum na região.

Maior que Pelé

Para muitos, Mané Garrincha tem uma história no futebol brasileiro bem mais rica que a do Rei Pelé. No bicampeonato mundial do Brasil, em 1962, no Chile, quando Pelé deixou os gramados contundido ainda na primeira partida, foi Mané quem tomou para si a responsabilidade de conduzir o escrete canarinho ao bi.

Notável driblador

Apelidado de o “Anjo das Pernas Tortas”, Garrincha se notabilizou por seus dribles desconcertantes e pela maneira irreverente com que tratava seus marcadores, chamando a todos pelo mesmo nome: João.

Em 1962 Garrincha foi o responsável pelo bi mundial do Brasil

“Se há um Deus que regula o futebol, esse Deus é, sobretudo, irônico, farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos nos estádios. Mas, como é também um Deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo que nos alimente o sonho.”

(Carlos Drummond de Andrade)

Final de dois invictos

Classificados para o Módulo II do Campeonato Mineiro de 2020, Pouso Alegre e Betim fizeram no domingo, 27, no estádio Manduzão, na cidade de Pouso Alegre, a segunda e decisiva partida da decisão da Segunda Divisão, num duelo entre dois times que chegaram à final invictos, com a equipe do sul de Minas vencendo por 1 a 0, e ficando com o título.

Curiosidade

A jovem equipe do Betim Futebol Clube, que estreou no futebol profissional neste ano, chegou ao vice-campeonato e garantiu o acesso ao Módulo II em 2020. O time, que manda seus jogos na Arena Vera Cruz, na cidade de Betim, passou toda a competição com sua defesa sem tomar gols, e a única vez que foi vazada foi justamente na decisão de domingo, com o gol de João Pedro (para o Pouso Alegre), aos 11 minutos do segundo tempo.

Origem

O Betim Futebol Clube nasceu da profissionalização da Associação Mineira de Desenvolvimento Humano (AMDH), uma escolinha de futebol que há anos participa de competições de base pelos gramados de Minas Gerais.

Módulo II

Os dois times – Pouso Alegre e Betim – serão adversários do Guarani no Módulo II no ano que vem, e na próxima terça-feira, 5, já participam da reunião do Conselho Técnico, que definirá a fórmula de disputa da competição.

Recorde

Aos 31 minutos de partida no domingo, o goleiro Lucão, do Betim Futebol Clube, se tornou recordista em competições da Federação Mineira de Futebol (FMF) como o goleiro a ficar mais minutos sem tomar gols. O recorde anterior pertencia a Raul Guilherme Plassmann, que ficou 1.017 sem levar gols.

Comentários
×