Coluna Batendo Bola (26/09/2019)

José Carlos de Oliveira

 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

A virada do Coelho

A história do América no Campeonato Brasileiro já tem um enredo feliz e para lá de animador para seu torcedor. Do desespero das últimas posições na Série B à arrancada para se tornar um real candidato a uma das quatro vagas na elite no ano que vem foi um pulo só. Bastaram poucos meses e jogos para transformar de vez a vida dos americanos.

Elite

Se antes a eminência de o time cair mais uma divisão no torneio nacional assombrava a todos, hoje a realidade é diferente e o sonho do americano é ver o clube do coração novamente entre os melhores do Brasil na próxima temporada.

Arrancada

O novo momento do Coelho tem nome e sobrenome. Com a chegada de Felipe Conceição o time mudou sua postura em campo e agora é candidato real a uma vaga na elite em 2020.

Efetivado como treinador apenas na 11ª rodada do torneio, o treinador acumula seis vitórias, seis empates e apenas uma derrota no período, e briga na parte de cima da tabela, com o acesso à Série A não sendo apenas um sonho, mas uma realidade ao alcance do time.

O jogo do ano para o Galo

Descendo a ladeira no Campeonato Brasileiro, com seis derrotas consecutivas, o Atlético deve mesmo apostar todas suas fichas na Copa Sul-Americana, que dará ao campeão uma vaga na Libertadores de 2020.

Desespero

Se antes a campanha do time sob o comando de Rodrigo Santana enchia de orgulho a Massa alvinegra, hoje o desespero já bate à porta, e as chances de lutar pelas primeiras posições no nacional são praticamente nulas, apesar de matematicamente possíveis. O desânimo bateu à porta da Cidade do Galo e críticas chovem de todos os lados, para cima de jogadores e comissão técnica.

Jogo do ano

Agora é virar a chave. Na noite de hoje a torcida tem que deixar de lado as críticas e tratar de apoiar o time em seu duelo contra o Colón, da Argentina, no jogo de volta das semifinais do torneio continental. É vencer logo mais e mudar a história no ano. Não há outro caminho.

Um gol

E um só golzinho separa o Galo de salvar definitivamente a temporada. Como perdeu fora de casa apenas por 2 a 1, o gol que marcou em Buenos Aires lhe dá o direito de vencer por 1 a 0 e avançar para a final.

Oposição joga contra

No outro lado da Lagoa da Pampulha, o Cruzeiro segue seu calvário no Brasileirão e nem importa se tenha ou não derrotado o Ceará na noite de ontem (escrevo antes do final da partida), porque a tendência é de sofrimento para a China Azul ainda por um bom tempo.

Protesto

Mas uma coisa já começa a me incomodar. Não entendo e nunca irei compreender a atitude de determinados conselheiros, que jogam o tempo todo contra o próprio clube. Em vez de ajudarem a encontrar soluções para o péssimo momento do time, dentro e fora dos gramados, alguns preferem apostar suas fichas na pressão sobre a atual diretoria, como se isto fosse a solução para tudo.

Menos...

...bem menos. E essa de conselheiros acompanharem determinados ‘organizados’ num protesto em frente ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), na Avenida Álvares Cabral, no dia de ontem foi mesmo o fim da picada.

Querem ajudar? Façam sua parte jogando limpo e procurando diálogo com as partes, para o bem do Cruzeiro, que deveria ser o motivo principal de suas ações.

Mas não

Preferem ver o circo pegar fogo para se dar bem com as cinzas. Vê se criam vergonha na cara, seus imbecis! Se não querem ajudar pelo menos que não atrapalhem, e estamos conversados!!!

Tudo errado

Ninguém está aqui tirando a culpa dos atuais diretores, que pisaram feio na bola. Mas a hora não é de apontar o dedo e nem buscar culpados, e sim de encontrar um novo caminho para o clube.

E a união de todos (posição e oposição) é o caminho mais curto para afastar de vez a crise. O resto é conversa para boi dormir e de quem quer apenas tirar proveito da situação. Pronto, falei. E tá falado...

Comentários
×