Colégio Tiradentes se destaca no Proalfa

Unidade de Divinópolis teve média superior à do Estado e Município

 

 

Gisele Souto   

Apesar de pouco tempo de instalação em Divinópolis, o Colégio Tiradentes da Polícia Militar (CTPM) já tem motivos para comemorar. Os alunos se destacaram no Programa de avaliação da alfabetização (Proalfa) referente ao ano de 2016. Mas, não foi só isso. O colégio teve média acima do Estado e de Divinópolis. Enquanto a nota de Minas Gerais soma 581,1 e as de Divinópolis, 592,2, a do CTMP chega a 662,0. Entre os alunos que participaram da avaliação, 52% encontram-se no nível recomendado e 48% no nível avançado. Nenhum dos estudantes do CTPM está nos níveis intermediário ou de baixo desempenho. 

Vale ressaltar que no período em que foi realizada a avaliação, havia apenas cerca de seis meses de funcionamento, ou seja, um semestre.  

A direção do colégio diz se sentir lisonjeada com o resultado e destaca o trabalho de todos os profissionais que atuam na unidade. O diretor do colégio, major Raimundo Ferreira Lopes, revela que foi com imensa satisfação que receberam o resultado do Proalfa, tendo sido altamente satisfatório para o Colégio Tiradentes, por se tratar-se de um esforço conjunto do comando, de toda a equipe de trabalho, dos pais e dos alunos que acreditaram na proposta pedagógica da unidade. 

— Já no nosso primeiro ano de funcionamento, o que nos faz acreditar que estamos no caminho certo. O esforço da nossa comunidade escolar foi fator preponderante para o sucesso alcançado em pouco tempo, o que reforça ainda mais o nosso compromisso na busca incessante da qualidade do ensino dos nossos alunos — ressaltou.  

 O colégio   

O CTPM Divinópolis tem oito turmas do 1º ao 5º anos com um total de 204 alunos nos turnos matutino e vespertino. A escola é pública, mas funciona sob gestão da Polícia Militar. A rede já tem 22 unidades em todo o Estado, Divinópolis é a 23ª e precisará ser ampliada já a partir do próximo ano para comportar a demanda.  O prédio atual tem salas de aula, refeitório, biblioteca com espaço para atividades lúdicas e pavilhão administrativo com salas de diretoria e professores. 

A instituição é destinada principalmente a filhos de policiais e bombeiros militares. Porém, eventuais sobras de vagas podem ser abertas a netos de policiais, filhos de servidores civis concursados e população como um todo – nesta ordem. As vagas que, se não preenchidas, poderão ser distribuídas à população civil, por meio de sorteio. 

 O Proalfa  

O programa é realizado pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado da Educação (SEE). Faz parte do Sistema Mineiro de Avaliação da Educação Pública (Simave) e foi desenvolvido por meio da parceria entre a SEE, o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (Caed), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e o Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

A avaliação do Proalfa identifica os níveis de aprendizagem em relação à leitura e escrita dos alunos e é parte da estratégia da SEE para alcançar a meta de que em Minas toda criança saiba ler e escrever até os oito anos de idade. Os testes são anuais e aplicados em todos os alunos das redes estadual e municipais nas escolas urbanas e rurais e identifica o nível de aprendizado de cada aluno. A avaliação é censitária para os alunos do 3º ano (8 anos de idade) e amostral para os do 2º e 4º anos. A censitária é uma avaliação nominal, que identifica o nível em que se encontra cada aluno e possibilita intervir em sua aprendizagem de forma pontual e individualizada, se necessário.  

 

Comentários
×