Coeciber alerta para cuidado com fake news e sites sobre coronavírus que roubam informações pessoais

Da Redação

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Coordenadoria Estadual de Combate aos Crimes Cibernéticos (Coeciber), alerta a população para a circulação de notícias falsas e de sites sobre o coronavírus criados para capturar informações pessoais dos internautas. Muitas dessas páginas, contendo mapas sobre a evolução da Covid-19, estão infectadas com um malware que captura informações como nome, senhas, números de cartão e outros dados de quem os acessa.

Segundo a coordenadora do Coeciber, promotora de Justiça Christianne Cotrim Assad Bensoussan, os invasores projetam os sites a fim de solicitar o download de um aplicativo para manter o usuário atualizado em tempo real sobre o avanço da Covid-19. Apesar de o aplicativo não precisar ser instalado, seu download insere um arquivo malicioso (malware) no computador das vítimas.

― Temos recebido muitas demandas de fake news e de casos de phishing, essa ação fraudulenta caracterizada por tentativas de ‘pescar’ dados pessoais de outra pessoa, sejam senhas, dados financeiros, dados bancários, números de cartões de crédito ou simplesmente dados pessoais. É preciso estar atento e ter muita cautela antes de acessar essas informações ― orienta Christianne.

Conforme informações do Ministério da Defesa, no início do mês, uma pesquisa feita pela empresa de segurança Check Point concluiu que mais de metade dos domínios ligados ao coronavírus foram projetados para infectar computadores. O malware usado pelos hackers rouba histórico de navegação, cookies, ID/senhas, criptomoeda e outros dados. Ele também pode criar uma conta de administrador secreta no computador para ataques remotos.

Portanto, para combater a ação dos criminosos, a Coeciber orienta a população a tomar cuidado ao receber qualquer link sobre a Covid-19, evitando abrir sites desconhecidos, e recomenda atenção ao repassar informações recebidas.

― Antes de repassar mensagens recebidas, deve-se checar a fonte, buscar a fonte original, verificar quem publicou, checar data, desconfiar de mensagens com muitos adjetivos, procurar outra fonte, ler a notícia inteira. Em caso de dúvida, não repasse ― instrui Christianne

Comentários
×