Cleitinho pede CPI do Copacabana e outros residenciais

 

 

Pollyanna Martins 

O vereador Cleitinho Azevedo (PPS) pediu, nesta segunda-feira, 9, a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades nos bairros Jardim Copacabana, Elizabeth Nogueira e Vila das Roseiras. O pedido foi feito após o Agora divulgar, no dia 10 de março, que o assessor do parlamentar, André Luiz da Silva mantinha uma casa em situação ilegal no bairro Jardim Copacabana. Em seu discurso na reunião ordinária do dia 13 de março, Cleitinho disse que pediria a criação de uma CPI para investigar irregularidades no bairro, pois haveria outras 99 casas em situação ilegal.

Conforme disse o vereador, ele tentou fazer um projeto de lei para que fosse realizada sindicância nos conjuntos habitacionais que pertencem ao programa Minha Casa Minha Vida, porém ele foi informado que o serviço já era feito pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. O vereador criticou o serviço feito pela pasta e afirmou que o trabalho da CPI será importante para fazer este trabalho.

—Eu não os vejo fazendo esse trabalho [de sindicância]. Eu quero deixar bem claro que quem tem direito à casa continuará tendo direito, mas tem muita gente que não se encaixa no perfil e ganhou a casa. Tem muita gente que ficou de suplente, merece e precisa ganhar a casa, mas não tem. A gente vai apurar e dar para quem realmente precisa – destaca.

O requerimento será lido no expediente desta terça-feira, 10, e ficará a cargo do presidente da Câmara, Adair Otaviano (MDB) instaurar e nomear a comissão.

— Eu espero que ele [Adair Otaviano] aceite para a gente começar a fiscalizar – ressalta.

Devolução 

Além do pedido de instauração da CPI, o vereador protocolou também uma solicitação para que o prefeito Galileu Teixeira Machado (MDB) providencie a retomada do imóvel de seu assessor. No documento, Cleitinho diz que seu assessor está disposto a devolver o imóvel, inclusive com todas as custas envolvidas no processo de devolução.

Segundo o parlamentar, a burocracia do serviço público tem impedido a transação, uma vez que os imóveis estão sob o domínio da Caixa Econômica Federal (CEF).

— Neste sentido, solicito a intervenção desta municipalidade para a retomada deste imóvel, e que consequentemente o órgão competente possa tomar as medidas cabíveis em relação ao mesmo – solicita.

 

Comentários
×